sábado, 20 de setembro de 2008

CHICLETE COM BANANA X GUITARRISTA JONNE

Valci Barreto, advogado , cicloativista
editor do bikebook.com.br
muraldebugarin.com



Recebi vários e mails, sobre o tema abaixo. Todos condenando a Banda Chicelte com Banana.Tendo algo a falar a respeito,falarei como cidadão comum, do mesmo jeito que os demais usaram a via digital para emitir suas opiniões.

Vou falar um pouco do que soube, à época. Do que diz minha experiencia, minha curiosiade e vivencia com as coisas de noticias e Justiça, leitor que sou , também de jornais.

Todos conhecem o “Cacique Jonne”, gutarrista genial da Banda Chiclete com Banana. Logo após as noticias de ter sido acometido de doença grave,começou ser veiculada na imprensa que a doença era consequencia de excesso de show a que era submetido o o artista Jonne na Chiclete com Banana.

A banda Chiclete, em função de Jone não mais poder tocar, assegurou para este uma renda, assistência médica e benefícios que receberia mesmo sem mais poder trabalhar. Detalhes dos benefícios eu não conheço. Mas lhe foi assegurado todo o amparo e sua continuidade.

Um ex componente da Banda, musico também genial, há muito havia se afastado da banda, de forma natural, como milhões de artistas trocam de bandas, como jogadores também o fazem no futebol e jornalistas em empresas ou agencias noticiosas.
Uma pessoa, ligada à Banda, da área de produção/administração e show, veio a se afastar, por razoes estritamente profissonais: Não interessava à Banda a sua continuidade. Era direito negociar a saída, ser despdida , pedir demissão, rescidir contrato, seja o que for. Certo é que se afastou.

Aí foi que começou a confusão: estas pessoas não ficaram satisfeitas com a saída. Em vez de cada um cuidar de seus negócios, fundar suas próprias bandas, já que não há estabilidade em emprego em empresa privada, muito menos em grupos de carnaval, banda ou bloco, preferiram procurar a Justiça. É direito da pessoa, procurar a Justiça para solucionar o que não pode ser feito nas negociações.

Porém, não ficou apenas nisso. Uma pessoa, muito ligada a um jornal da Bahia,teria iniciado divulgação constante de materias que comprometiam a imagem da banda, "pelo tratamento dado à doença do Jonne."

A divulação das matérias eram quase que diárias, afirmando ou insinuando que a Banda não estava dando um tratamento digno ao Jonne ou deixando de cumprir obrigaçoes em relação a este artista que procurou a Justiça. Não sei se os demais o fizeram.

As matérias divulgadas na imprensa escrita, pautou um programa televisivo de grande audiência em Salvador, alimentando as memas matérias do Jornal, que atacavam a imagem dos artistas da Chiclete, em relação ao caso Jonne.

Durante um bom tempo, não se ouviu uma palavra do Bel nem dos seus companheiros de Banda.

Chegou-se á conclusão de que não era apenas uma noticia normal, comum, baseada em fatos. Havia pessoa ou pessoas chatageando e usando o nome do “Cacique” para fazer o que muitos fazem, quando tem poder em alguma área da imprensa: influenciar a opinião pública e quem sabe o próprio Judiciário quando do possível julgamento de um ou mais processo.

Componentes da Banda, tentarem levar a sua versão ao jornal mas não conseguiram. A final, era pessoa muito próxima contra o qual não havia arma para conter a continuidade das “reportagens”.

Como há sempre alguém, ligado ao meio da imprensa que faz questão de ouvir os dois lados, chegou-se ao referido programa de tv, a quem foi exposta a situação, identificado , segundo se comentou à época, quem estava por trás das matérias divulgadas e o que buscavam: indenizações milionárias.

O apresentador do programa , após conhecimento dos fatos, fez o devido reparo, publicamente, em seu próprio programa, a respeito da situação do Jonne x Chiclete Com Banana.

Identificados os possíveis alimentadores das reportagens, e o que pretendiam, não mais se tratou do assunto.

Obvio que, com processo ajuizado por jonne , não poderia a Banda manter as mesmas condições prometidas ao grande e reconhecido guitarrista.

Não conheço nenhum dos componentes da Banda em sua intimidade, não acompanhei o processo. Como nenhuma noticia foi mas veiculada na imprensa, de meu conhecimento, estava acreditando que todos os processos já haviam sido extintos, com ou sem julgamento. Agora, através deste e mail é que estou vendo o resultado do que foi por Jonne movido. Não sei se houve outro.

Pelo que conheço, acredito que , mesmo se não fosse problema de ausência à audiência, o processo teria sido julgado contra Jonne. É que a banda não tem obrigação de pagar salários vitalícios, nem pensão , remedios, exceto, nos termos da lei, em caso de acidente de trabalho, que não é a hipótese, ou de estabilidade no emprego, que também não é a hipótese.

Direito, se houvesse, não tenho duvidas de que , se condenada, a Banda pagaria. Não seria o valor impossível de ser pago por uma empresa como a Chiclete com Banana. Não seria ela que iria desobedecer ao Judiciário.

Então, no plano moral, na minha opinião, não pode Jones reclamar da Banda Chiclete com Banana.No plano jurídico também não, porque o processo foi extinto. Não há mais o que discutir.

Não cabe no plano moral porque ninguém vai pagar , indenizar, pagar custos de médicos, alimentos, tratamentos caríssimos, não tendo obrigação para tanto; ainda mais a quem preferiu ,ou foi tentada por outras pessoas, o caminho do processo judicial, com intensa campanha de ofensas morais diariamente publicadas.

O que ninguém lembra, e é bom lembrar, por uma questão de justiça, moral, respeito, é que:

A situação de Jonne é gerada pelas dificuldades do Estado em manter uma previdência , um amparo ao necessitado, seja ou não artista, tenha ou não sido um grande guitarrista.

Todos conhecem a Casa dos Artistas, criada por um grande ator global. A casa abriga ex grandes nomes da música, do teatro, cinema, letras. Muitos foram grandes vedetes, atores consagrados, com valor inestimável para a historia das artes brasileiras. Foram membros de grandes empresas , bem mais importantes, conhecidas e poderosas do que a Chiclete.

E lá vivem de módica pensão, atribuída a qualquer pensionista brasileiro de empresa privada. Muitos nem alcançam a dignidade de morar em algum quarto daquela casa. Vivem as penúrias das ruas. Todos vitimas de uma previdência social que não atende às necessidades básicas .

Seria, então, a Banda Chiclete a única que iria solucionar tais dificuldades, por mais dolorosa que seja?

Se , dos fatos acima narrados, fosse verdadeiro apenas um processo judicial contra a Banda, movido por Jonne, já transitada em julgado, teria a Banda todos os motivos para não dar a Jones mais do que a lei assegurasse.


A própria ausência do Jonne à audiência, para quem conhece este tipo de processo e procedimento, pode-se ter dúvida se seria para ele realmente comparecer ou não.

As pessoas que alimentam o e mail abaixo não sabem o que de fato aconteceu. Se souberem, pelo menos um pouco, certamente refletirão e chegarão a uma conclusão: O Jonne é uma grande vítima de uma fatalidade, de uma dificuldade que , com certeza , não foi causada nem alimentada pela banda Chiclete com Banana.

Se tiverem oportunidade, ouçam a versão de Bel. A final, é principio de |Justiça, que vêm bem antes da Bíblia, em outras palavras: não julgue nem condene sem ouvir os dois lados, as duas partes.

Pelo menos um pouco eu tive a oportunidade de conhecer, de ser informado das versões acima expostas, que acredito verdadeiras, mesmo sem ter conversado com nenhum dos envolvidos na demanda.

Valci Barreto, advogado, cicloativista
Editor do bikebook.com.br
Colaborador do muraldebugarin.com
valcibarretoadv@yahoo.com.br


===========================

> >
> > De: Camila ...... > > Assunto: Que Vergonha pra Bel e o Chiclete com
> Banana..
> > Para:
> > Data: Quinta-feira, 18 de Setembro de 2008, 21:25
> >
> >
> >
> > Chamo-me João Fernandes da Silva Filho, sou
> guitarrista e compositor e
> > mais conhecido como Cacik Jonne. Fui, durante quase 21
> anos ( 1980 a 2001),
> > guitarrista da banda Chiclete com Banana e construtor
> de significativa
> > parcela da história da música baiana. Portador de
> doença- Ataxia Cerebelar-
> > venho sofrendo limitações progressivas de movimentos
> no decorrer dos últimos
> > 8 a 10 anos, um problema de equilíbrio no cerebelo.
> Não pude mais exercer
> > minha profissão. As condições para movimentar-me e
> trabalhar foram ficando
> > cada dia mais difíceis. Em conversa que mantive com
> os dirigentes da banda,
> > ficou acertado, verbalmente, que sairia da banda, mas
> ela assumiria o
> > pagamento de meus honorários como se estivesse
> tocando e depois faríamos um
> > acordo. Como se tratava de um acordo justo aceitei-o.
> Porém, o compromisso
> > verbal não foi cumprido integralmente, porque os
> honorários prometidos foram
> > sendo reduzidos gradativamente. De forma integral o
> acordo foi cumprido
> > apenas no período de junho a dezembro de 2001 a
> janeiro/2002. A partir do
> > carnaval de 2002 os honorários começaram a sofrer
> cortes inexplicáveis. Vale
> > ressaltar que nesse período tentei inúmeros contatos
> com a Banda, mas todos
> > foram em vão. Movido pela necessidade e pelo
> propósito de ter meus direitos
> > restabelecidos e respeitados, busquei a Justiça. Em
> dezembro de 2002 foram
> > instaurados até 2005.Ressalto que a minha saúde, com
> o passar do tempo, foi
> > ficando cada vez mais comprometida. O quadro
> agravou-se e as seqüelas da
> > doença atingiram minha visão, comprometeram minhas
> articulações e afetaram
> > meu andar. passei a necessitar de tratamentos mais
> especializados e
> > onerosos. Mas, como poderia fazê-los se não dispunha
> de recursos financeiros
> > para esse fim?. Meus antigos parceiros permaneceram
> indiferentes e
> > irredutíveis à esta situação, estranhamente, o
> processo foi julgado à
> > revelia, e o mais grave é que eu, vítima, autor da
> ação e principal
> > interessado na agilidade do julgamento e do resultado,
> não soube dessa
> > audiência. Meu advogado recorreu da sentença ao
> Tribunal Superior do
> > Trabalho, TST, onde o processo foi arquivado.
> Atualmente estou sobrevivendo
> > graças à pensão do INSS e da ajuda de amigos. Tudo
> o que almejo é ter o
> > valor de meu trabalho artístico de mais de 20 (vinte)
> anos, interrompidos
> > por motivos alheios à minha vontade, reconhecido
> financeiramente, a fim de
> > que possa custear, sem favores, meu oneroso tratamento
> médico-hospitalar. É
> > justo que alguém que colaborou de forma íntegra a
> uma banda e a uma história
> > musical baiana sofra este processo de constrangimento?
> 'pois pra os ricos
> > nada pega' n ão deixarei de falar até que a
> morte me leve já que sei que a
> > justiça dos homens pode estar perdida, mas a de Deus
> não questiono, pois
> > acredito, cedo ou tarde, Ela vencerá'.
> >
> >
> > Cacik Jonne.

> ------------------------------------------------------------------
> >
> >
> > Jonne é meu cliente, há alguns anos, e morou, por
> muito tempo, no
> > condomínio que eu administrava.
> > Sou testemunha de sua degeneração e dificuldade,
> tendo acompanhado o
> > agravamento de sua doença, até quando mudou-se para
> a casa de seu pai.
> >
> > Atualmente já não dirige, fala com dificuldade e
> se locomove sempre com
> > amparo. De acordo com seu pai, com quem temos contato
> mensalmente, vem
> > caindo muitas vezes e seu estado, por causa desta
> doença, que é
> > degenerativa, vem se agravando. Atualmente é bem mais
> visível a sua piora.
> > Desde o início de seu processo, ele e seu pai
> tentam divulgar a sua
> > história, mas o Chiclete é muito poderoso e rico.
> > Há anos, por causa de Jonne, não vejo, assisto,
> compro ou pratico
> > qualquer outro ato que possa dar mais dinheiro ou
> prestígio ao conjunto que,
> > ao meu ver, trata deste assunto de forma tão
> mesquinha.
> >
> > É realmente uma pena a desconsideração com que é
> tratado pela banda
> > Chiclete com Banana e, com certeza, tem precisado da
> ajuda de pessoas
> > amigas. Seu tratamento é caro e acho que não
> chegará a tempo de socorrê-lo.
> > Ele não tem como custear o que necessita.
> >
> > Tereza Lins
================================================================================

publicado no bikebook.com.br

13 comentários:

Anônimo disse...

Não conheço a historia do cacique Jones, mas o chiclete com banana deveria ter bom senso e realizar o tratamento, seria uma questão de bom senso. pois tenho certeza que dinheiro na falta na Mazana produções ( Chiclete com banana)

Anônimo disse...

Explica mas não justifica. Meu Deu!!!, será que se Jonne estivesse tendo a assistência devida ele estaria procurando confusão. É estranho, mas acho que está por trás dessa história é na verdade a avareza e mesquinhez de pessoas que usam uma máscara de legais, cantam bonitinho, mas no vamo ver, dão no pé. O dinheiro para alguns fala mais alto. Pessoal o tratamento do Jonne é caro. Mesmo eles não sendo amigos do Jonne, pelo menos devido ao fato do Jonne ter contribuido para o sucesso do chiclete. O Jonne deixou um vazio até hoje, pois representa os melhores anos da banda pois contribuiu bastante para o seu sucesso. Portanto tem direito, não a a título de ajuda mas de mérito.
Caiu a máscara, não era chiclete com banana, mas sim com hiprocisia.

Anônimo disse...

Eu curtir o chiclete com banana até o ano de 1995(Cd banana coral),eu era muito fã do chiclete,admirava muito o Jhonne com a sua guitarra solando os solos que só ele sabia fazer.Eu pude ver o quanto o Jhonne se dedicava na banda.Alguns anos depois
quando soube desse situação do Jhonne fiquei muito Triste,agredito que Jhonne e Bell eram como irmãos.Fiquei com nojo do chiclete em saber do seu despreso por aquele que um dia deu a sua vida e a sua juventude.Fico muito triste por essa atitude. Sejam humanos Chiclete com banana,se o Jhonne fez algo que os deixou chateados,perdoem,olhem para o estado dele,e tenham misericórdia.

JVS da cidade de Ubatã Bahia

Anônimo disse...

Até hj existe uma lacuna no Chiclete com Banana desde a saída do cacique Jonne, pois, quem curte a banda e vai para os shows até hj, percebe nitidamente os erros grosseiros nos solos e acordes da guitarra tocada por Bell Marques. Com isso, todos podem imaginar a falta que o cacique faz nessa banda. Então, não só por esses motivos, mas tb por consideração ao valor do ser humano, eu espero que os integrantes da banda se mobilizem e o ajudem de coração e alma abertos.
Quero deixar claro aqui que, mesmo com todos os erros, a banda faz um excelente trabalho e EU SOU FÃ do Chicletão, porém, eu poderia amar muito mais!! Acredito que não compartilho sozinho dessa opinião.

licia disse...

Vale apena ler. http://www.radiometropole.com.br/noticias/index_noticias.php?id=VFdwTk1FNTZaejA9

Anônimo disse...

Nosso blog publicará todos os comentários, exceto os contrários à lei e à etica. Contrários ou a favor do Jones ou do Chiclete, publicaremos sempre. Nossa opinião, e que soubemos sobre o caso, continua a mesma , inclusive após tomarmos conhecimento da materia publicada na metropole.

valci barreto
advogado,
jornalista
blogueiro
valcibvarretoadv@yahoo.com.br
facebook/valcibarreto

Diu Mota disse...

SABE CACHORRO QUE FICA DOENTE E O DONO ABANDONA NA RUA? AGORA, TEM AQUELE DONO QUE ADOTA UM CACHORRO E QUANDO ELE FICA DOENTE É QUE LHE PRESTA TODO O CARINHO E COMPAIXÃO...NEM PRECISARIA PEDIR. FALTA COMPAIXÃO POR PARTE DA BANDA CHICLETE COM BANANA MESMO!!!!!

Anônimo disse...

Sinceramente, Valci, não sei como você pode tratar de um assunto delicado como este com tanta frieza assim como os componentes da banda também tratam. Independente de Jonne ter movido ou não uma ação, ele é fundador da banda, contribuiu durante 21 anos para a consolidação do grupo, tem um enorme serviço prestado, então a banda deveria reconhecer tudo isso. Além do mais, ele considerava os companheiros irmãos, como se fossem de sua família, mas os companheiros provaram que não têm o mínimo de sentimento por ele. Chega a ser nojenta a forma como Bel tratou desse assunto quando questionado por um repórter da da rádio Metrópole; é como se Jonne fosse um mero conhecido dele, uma pessoa sem importância alguma. Pergunto: para que serve tanto dinheiro se não for para ajudar ao próximo, principalmente se esse é uma pessoa com quem se partilhou momentos bons e ruins, como foi o caso deles. É muito desumano e não há justificativas que possam convencer a quem tem bom coração, só aos mesquinhos e mercenários mesmo. Como disse o Diu Mota no comentário anterior, nem precisava pedir, era uma obrigação da empresa Chiclete com Banana pagar o que deve, digo pagar porque não seria nenhum favor, já que parte do que a banda é hoje deve-se a Jonne. Ele era uma atração à parte, não só pela aparência, como pelo seu talento, pois dava um show com sua guitarra e muitos só iam aos shows por causa dele.
Espero que a justiça seja feita.

Obs. Não sou e nem nunca fui fã do Chiclete nem do Jonne, mas sei reconhecer os méritos dele.

RITINHA disse...

SOU BAIANA, E FÁ DE JONNE, QUANDO ADOLESCENTE SONHAVA COM ELE, COMPLETAMENTE APAIXANADA, COISAS DE FÂxÍDOLO, IA PROS SHOWS, CARNAVAL, MICARETA EM CAMAÇARI QUE Á A MINHA CIDADE, OLHAVA PRO TRIO E SÓ CONSEGUIA ENXERGAR JONNE. HOJE SOU UMA MULHER DE 40 ANOS COM UM FILHO.

FIQUEI ARRASADA QUANDO SOUBE DA DOENÇA, E QUANDO ELE SAIU A BANDA PRA ACABOU. E DEPOIS DE FICAR ACOMPANHAR A TRAJETÁRIA DE PROCESSOxCOVARDIAxABANDONO, FICO TENTANDO ENTENDER COMO É POSSÍVEL AS PESSOAS QUE DIVIDIMOS A VIDA SEREM TÃO MESQUINHAS DIANTE DOS FATOS?? QUERIDO JONNE, SAIBA QUE EXISTEM PESSOAS QUE TE AMAM E NÃI TE ESQUECERAM. MORO FORA DA BAHIA, MAS ISSO NÃO IMPEDE DE CONTRIBUIR.

ASSIM COMO EU EXISTEM MUITOS FÁS QUE GOSTARIAM DE FAZER ALGO PARA MELHORAR A SUA VIDA. EXISTE ALGUMA CONTA PARA ARRECADAÇÃO DE FUNDOS?? SE HOUVER, POR FAVOR DIVILGUEM. NÃO IRÁ FALTAR CONTRIBUINTES. QUANTO A CHICLETE... BEM, NADA COMO UM DIA APÓS O OUTRO. TENHO CERTEZA QUE DEUS DE RESERVA UM LUGAR ESPECIAL. NÃO FIQUE TRISTE QUANTO AS PROVAÇÕES DA VIDA. APRENDI A NÃO QUESTIONÁ-LAS. APENAS ACEITAR E AGURDAR A RECOMPENSA, QUE COM CERTEZA UM DIA VIRÁ. UM GRANDE ABRAÇO E DESEJO DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO, A SUA PAZ INTERIOR, DIGNIDADE E O OLHAR DE DEUS SOBRE VOCÊ.

RITINHA disse...

Gente, entendi que não adianta tentar convencer um advogado tentando chegar pelo coração. Eles simplesmente não enxergam como nós, usa termos jurídicos e tentam nos convencer que o chiclete agiu corretamente. Gente!!! consideração, rspeito, amor, dedicação e agradecimentos não são termos jurídicos, isso está acma de qualquer lei dos homens. Só os bons de coração, os justos, os não mercenários conseguem vê as coisas dessa forma.
Bel Marques, se você ler essa mensagem, não se esqueça que é pai, e que a vida é cheia de tropeços, e perante DEUS, que multiplicou o pão, você deveria, não dividir, mas pelo menos suprir Jonne de toda atenção e cuidados que ele merece e que lhe é devido. Cito o seu nome pq é o líder e sei que pode. Pense bem: O QUE SE LEVA DA VIDA, É A VIDA QUE SE LEVA (AQUI NA TERRA). A prática do bem, faz um bem maior.

RITINHA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

É interessante como o advogado, o qual é dono desse blog, retrata o nosso sistema de leis. Ele fala como se realmente a Justiça brasileira fosse realmente Justa. Nós sabemos que o dinheiro fala mais alto. E digo mais, se as nossas leis fossem individuos, seriam piores que politicos safados. Pois beneficiaria ricos em detrimento dos pobres.

Anônimo disse...

Nada do que vc falou, falou e falou, justifica a dívida moral que o chiclete tem com Jones. Isso está acima da lei dos homens. É uma questão de caráter. Não tente jsutufucar o injustificável.