sábado, 30 de agosto de 2008

CHEGOU O GRANDE DIA DO BICICLO-FRALDAS

É amanhã o grande dia !!! 31 de Agosto 2008

BICICLO-FRALDAS – doação de fraldas descartáveis ou de algodão,
materiais de higiene e acessórios infantis (novos ou usados)
para “Ajoyr” filho recém-nascido de Lázaro dos cartões

- Biciclo-Fraldas + Inauguração Comitê Gilson Cunha às 8:00 hs
(Av.Vasco da Gama esquina com Av.Ogunjá)
- Exposição fotográfica sobre ciclistas no Comitê de Gilson Cunha
- Passeio Ciclístico pelo Rio Vermelho – às 8:30 hs – saindo do comitê
- Etapa Salvador do SESC Triatlhon – às 9h no 2º Distrito Naval no Comércio

itanamangieri@gamail.com




Icaro, na CENTAURO DA BARRA, orienta suas clientes(lirian e sua colega, nova pedalante) na aquisição dos acessórios para bicicleta.




jabutis prontinho para o PEDAL DAS FRALDAS AMANHA E PARA A INAUGURAÇÃO DO COMITE DE GILSON CUNHA, NA VASCO DA GAMA.

valcibarretoadv@yahoo.com.b
PREVIA DO BICICLOFRALDAS FOI HOJE!

— valci barreto

Como dito e repetido: Marcado um pedal com o JABUTIS VAGAROSOS, ele sai pontualmente , ainda que com uma só pessoa.

Pois bem hoje foi JABUTI SOLITÁRIO. Pontualmente saí em direção ao Comite de Gilson Cunha . Saí de Cezinha . Fui com ela para colocar a cestinha, alguns raios e adquirir alguns acessórios na oficina do sogro do futuro vereador, Gilson Cunha, pais de Rafaela. Na oficina, que fica ao lado do Comitê do Gilson, na entrada do Ogunja, Vasco da Gama, apareceu o Lázaro , que já era aguardado. Não estando ainda o futuro vereador, enquanto minha bike era equipada, tomei uma emprestada e saí com o Lázaro pedalando pela Vasco da Gama. O homem me levou a becos interessantes pela região da Federação. Pensando que estava indo para a séde do Subaí, "entra em beco e sai em beco," quando me vi já estava na Vasco da Gama de novo. Acho que passamos pela oficina do Cadu e nem enchergamos! É que passsmod em frente da casa de um amigo meu Bebeto, que mora bem próximo. Já na Vasco, falei com Lázaro: quero voltar aqui com um jabuti completo: Elena, Rosi e quem mais aparecer. Os becos e quitandas são a cara do Jabuti!

De novo na oficina do sogro de Gilson já estava a esposa deste, nossa querida Rafaela,fazendo artes encomendadas por alguem que vai casar ou fazer aniverário. Comemos um cachorro quente, um monte de banana bem madurinha. Quando Gilson chegou fomos visitar a séde.

Muito interessanta a decoração: centenas de fotos dos grandes e pequenos passeios realizados pelo grande bicicleteiro, prestigando todas as pessoas , grupos e amigos de pedal. Muitas fotos! e mais virão!

Com minha bike equipada, despedi-me da familia Gilson Cunha para compromissos familiares: almoço com Ró.Deixei Lázaro colaborando na arrumação do escritório político do Lázaro.

À tardinha, fui ao Shopping Barra para buscar um equipamento que não poderÁ faltar no pedal de amanhÃ: O CARIMBO DE ITANA, oferta do muraldebugarin.com.

Visitei a Centauro do Shopping Barra, dando-me o Icaro , vendedor, a notícia de que ali está recebendo as visitas contantes das Jabuticas : Elena, Rosi e pessoas que já ensaiam achegar-se aos nossos pedais.

Logo em seguida aparecem Liriam e sua colega da Justiça , ambas "toda chic!). "Tasquei-lhe um click nos tres!"

Minha máquina está com um defeito. Mas é melhor foto defeituosa do que nenhuma. Conversamos sobre bike e passeios. Lirian vai longe!(comprava equipamentos para longas viagens!)

Peguei carimbo, fiz um cartazinho de anuncios do mural. Vistei a Siciliano, como sempre.

Tudo prontinho para amanhã, para o pedal das fraldas.

Ontem no Centro de Covençoes,solenidade de formatura de Medicina, encotrei, os chiques pra caramba, Tio Lu e Sued.Pena que estava sem maquina para mais fotos.

Agora, estou indo para o Centro de Covenções. É o baile de formatura de Daniele Nery, em Medicina, filha do meu amigo e conterrãneo Alisio Nery(Sarte Coc, Central do Carnaval).

Seja qual for a hora do retorno, 08 horas estarei saindo da frente do Apipão em direção ao PEDAL DAS FRALDAS, QUE JÁ ESTA BOBANDO , ANTES DE ACONTECER, graças ao empenho e competencia da célebre escribiker ITANINHA, QUE TEM FESTA DE RECEPÇÃO DO CARIMBO AMANHA, no Comitê do Gilson! Não precisa me esperar, vou sair 08 de casa. Podem seguir , já que marcaram para oito horas! Eu os encontro no caminho!

Até lá pessoal!

Espero que a cirurgia do Edvaldo, esposo da querida Jabuti Elena, tenha sido acobertada de sucesso!

Até amanhã, então!

A foto de Lirian sua colega, (que já está entrando no pedal também) ,e Icaro, da Centauro da Barra, será postada no bikebook.com.br

==
Detalhe, ao SHOPPING EU FUI DE BIKE, ATENDENDO A ORDENS DO BUGA.

-SE TEM PEDAL, TÁ NO MURAL!

valcibarretoadv@yahoo.com.br

CHEGOU O GRANDE DIA DO BICICLO-FRALDAS 31 de AGOSTO

É amanhã o grande dia !!! 31 de Agosto 2008

BICICLO-FRALDAS – doação de fraldas descartáveis ou de algodão,
materiais de higiene e acessórios infantis (novos ou usados)
para “Ajoyr” filho recém-nascido de Lázaro dos cartões

- Biciclo-Fraldas + Inauguração Comitê Gilson Cunha às 8:00 hs
(Av.Vasco da Gama esquina com Av.Ogunjá)
- Exposição fotográfica sobre ciclistas no Comitê de Gilson Cunha
- Passeio Ciclístico pelo Rio Vermelho – às 8:30 hs – saindo do comitê
- Etapa Salvador do SESC Triatlhon – às 9h no 2º Distrito Naval no Comércio

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

MUNDÃO JÁ ESTÁ EM PARATINGA!

— valci barreto

Mundão saiu de Salvador, no dia 18.08.2008, em sua bicicleta Caloi Barra Circular e se dirigiu para as romarias de Bom Jesus da Lapa. Chegou ontem, dia 28.08.2008, em PARATINGA.Ainda está lá, para juntar-se aos demais companheiros de romarias, que vêm da região de Cruz das Almas. Está, assim, o Mundão já curtindo as aguas do Rio São Francisco.

Falei com ele há pouco(30.08.2008, 16.30 horas).

Mundão está no fone (77)36642475. Liguem mandando uma mensagem de boa sorte para Mundão.


Quem puder, mande de PARATINGA OU DA LAPA UMA FOTO DE MUNDÃO PARA NÓS!
Parabéns Mundão, que o Bom Jesus da Lapa lhe proteja!

CARTILHA DOS JABUTIS VAGAROSOS.

CARTILHA DOS JABUTIS VAGAROSOS

PERFIL DOS JABUTIS VAGAROSOS.

Valci Barreto


Dicas, antes dos passeios:
Jabutis Vagarosos faz passeios de todo jeito. MENOS OS APRESSADOS E ESTRESSADOS. Mesmo para longe, até para fora de Salvador, ele é lento.
Não é um passeio para quem não subiu em uma bicicleta. Não é aula para aprender a montar em uma bike.

È um pedal para quem anda de bicicleta, ainda que pouco, ainda que lento, ainda que tremendo de medo das ruas.

JABUTIS VAGAROSOS FAZ UM PASSEIO SÓ PARA VOCE OU PARA MAIS ALGUEM QUE ,SABENDO PEDALAR, NÃO É TREINADA PARA ANDAR NAS RUAS. O QUE FAZEMO É TREINAR PESSOAS PARA ANDAR NAS RUAS.

Se VOCE QUISER UM PASSEIO SO PARA VOCE , OU MAIS POUCAS PESSOAS, FAZEMOS UM ESPECIAL. PEDIMOS PARA DAR UMA VOLTINHA EM DIA E HORA MARCADA. A DISTANCIA, TEMPO, QUEM FAZ É VOCE. A GENTE ANDA , PEDALA, O TEMPO QUE VOCE QUISER E AGUENTAR. AINDA QUE APENAS DEZ METROS.

MAS, SE VOCE DER UMAS TREINADAS ANTES , NAS SUAS VIZINHANÇAS, ATÉ NA GARAGEM DA SUA CASA, SERÁ MAIS DIVERTIDO AINDA O SEU BATIZADO em nosso grupo. Neste caso, no primeiro passeio seu já podemos andar um pouquinho mais, tipo ir da Sabino Silva até o Campo Grande. Só que você vai querer sempre ir mais longe.

DEPOIS DO PRIMEIO JABUTI, QUE VERIFICARMOS COMO ESTÁ VOCE, A GENTE FAZ O SEGUNDO, MELHOR AINDA.

DO TERCEIRO EM DIANTE VOCE NÃO VAI QUERER PARAR MAIS.

Cada grupo de ciclismo em Salvador tem sua cultura, seu ritual, seu jeito de pedalar. Uns correm mais, outros menos. Os mais conhecidos têm o seu perfil publicado no muraldebugarin.com , bikebook.com.br, sincronia e amigosdebike, Pedalada da Noite, amigosebike. Todos estão na página direita do muraldebugarin.com.

====
CARTILHA DOS JABUTIS

Valci Barreto
Editor do bikebook.com.com.Br
Colaborador do muraldebugarin.com



O grupo de passeio ciclisticos JABUTIS VAGAROSOS, é aberto a qualquer pessoa, idade, cor, credo, cultura, condição econômica; pode participar com qualquer roupa, tênis ou bicicleta. Estas podem ser de qualquer preço, com ou sem marcha, caras, baratas, enferrujadas, nova, usada, desde que rode.

A preferida é com cestinha, descanso, espelho retrovisor, buzina de trin trin e tranca. Isto porque andamos muito pelo centro de Salvador e precisamos destes acessorios para:

descanso: para a bicicleta sem precisar encontar nas paredes.

cestinha: para colocar água, revistas, jornais,guardar o lixo para descartar em local próprio. E é bem melhor do que mochilas para carregar pequenos objetos.

Não tem dia certo para sair. Mas acontecem em quase todos os finais de semana, domingos, feriados, santificados.

O horário, roteiro, finalidade, critério de cada passeio é repassado por e mail ou divulgado , a partir de quinta feira, no muraldebugarin.com.

Todas as pessoas, enquadradas no perfil dos jabutis, são convidadas. Ninguém precisa se queixar que não foi convidado para participar de um Jabutis. Aceitando as condições e perfis de cada passeio marcado, todos são convidados; menos os mal educados, apressados, que não se sujeitam a regras do grupo. Detestamos mal humorados, os que se queixam , que reclamam de tudo e as pessoas incapazes de conviver com regras de comunidade formada por mais de uma pessoa.

Marcado o dia e local de saída, não precisa ninguém ficar ligando para saber se vai acontecer ou não. Ele acontecerá, ainda que com uma só pessoa. E se não sair, não há do que reclamar: pegue sua bike e siga por aí. Se não estiver acostumado a pedalar sozinho ou não tenha coragem, pegue sua bike e volte para casa. Importante , para nós, é não estressar. Até hoje, com vários anos de existência, ainda não houve um dia marcado que ele não acontecesse.

Detestamos aqueles telefonemas: “Me espere”. Já tô aqui”, “já tô chegando.” .Tô saindo, “. O Jabuti simplesmente não espera. Até mesmo em respeito aos que chegaram no horário ou com antecedência. Quem quiser ser esperado, chegue bem antes do horário marcado para a saída.

Normalmente o passeio tem início na Padaria Apipão, Sabino Silva, onde se pode chegar mais cedo, ficar no fundo, tomar um café, comer bolo; ou ,simplesmente ,esperar. Há cadeiras e mesas dispostas para sentar. O ciclista é logo identifidado, mesmo que nunca tenha participado do JABUTIS: os funcionários vão lhe receber como príncipe e vão puxar conversa. È só sentar.

O grupo é para quem gosta de conversar, visitar livrarias, casas de amigos, comadres, compadres e até algum ciclista que esteja em algum hospital; adoramos sebos, espaços culturais, museus, bibliotecas comunitárias, pequenas quitandas, normalmente de frutas; Almoçamos, ou simplesmente merendamos, sem pressa, sem “vamo vamo” “ sem “tá na hora”. Nada é cobrado para participar dos Jabutis . Você paga o que consome na rua. Não venha sem a graninha do lanche, das frutas, da água que voce vai consumir. Quando almoçamos, normalmente é em restaurante a peso, em funçao da praticidade, também caracteristica dos Jabutis. Quem quiser fotografar, terá o tempo necessário, sem pressa, especialmente se presente estiverem pessoas que curtem fotografar, como Valci, Bugarin, Itana.Ninguém pode dar pressa a ninguém. Pode sugerir para sentar, levantar, ir embora, parar, mas sem correrias, discussões, estress, mal humor.

Gente com mania de limpeza , nem pensar em sair nos Jabutis: pedalando, nas ruas de Salvador, é impossível não se sujar. Os maníacos, radicais por limpeza ,devem procurar outros esportes ou outros grupos. Os Jabutis não dispõem de banheiro, lavanderia, chuveiros. Quase sempre tomamos uns banhos no caminho, mas de lamas ou águas de chuva que os carros adoram nos jogar quando passam por nós. Pode vir pobre, bonito, feio, rico, letrado, analfabeto, com qualquer roupa ou bicicleta, desde que rode. Cada um paga suas despesas. Exige-se o uso de capacete, para segurança do ciclista, educação e respeito ao próximo.Detestamos gritaris e buzinadas. As buzinas baixas, tipo trintin nao somente são aceitas, como é exigida pela lei de transito. O mesmo ocorre com os espelhos retrovisores: é equipamento obirgatorio.O capacete não é obrigatório .Mas todos os grupos organizados exibem, recomandam, para a segurança do ciclista.Capacte, com certeza, salva vidas.Por isto , JABUTIS também pede para virem com capacete, sempre.

A turma do Jabutis, de um modo geral não bebe, senão água, suco , leite. Mas nada tem contra quem toma uma cervejinha, desde que não se embriague. Nas paradas, pode tomar sua cervejinha, sem problema. Mas o grupo não vai esperar que ele tome uma, duas, três, quantas quiser. Muito menos que “tome todas”. Se preferir a cerveja, dele nos despedimos e ele pode ficar lá , à vontade, tomando a quantidade que quiser. Sempre sem estress.

Normalmente estamos no ponto de retorno às 16, 17 horas. Mas não temos compromisso com horário de retorno, senão quando combinado. Radical, somente o horário e local de saída. O mais, quase sempre, é improvisado. É o que for acontecendo, que vai ditando tempo, roteiro e o que for nos atraindo: quitandas de frutas, oficinas de bicicletas, mingaus, comidas, shows, restaurantes, feiras, livrarias comunitárias. É da nossa cultura levarmos um livro, uma revista usada e deixarmos em alguma livraria comunitária encontrada pelo Caminho. Sabemos onde elas estão. Basta um livro ou revista usada.

Aos domingos, quase sempre damos uma parada no Mingau de Dona Rosana, na Av Centenário, que também serve feijoada, bolo, sarapatel, na entrada do Calabar, cuja biblioteca comunitária também faz parte do nosso roteiro.

Se alguém diz que vai participar e desiste, nem precisa avisar que não vai. É só não comparecer. Quem vai, também não precisa avisar: é só estar, já em cima da bicicleta, no horário e local marcado para a saída. Pode chegar antes; Quem chega depois, normalmente não encontra mais o Jabutis.

Não ligamos, nem passamos e mail avisando dos passeios. OS AVISOS SÃO POSTADOS, A PARTIR DAS QUINTAS FEIRAS, NO MURALDEBUGARIN.COM. Podemos passar e mails avisando. Mas não temos compromisso com isto.

Há casos em que não avisamos pelo Blog e avisamos apenas por e mail, por algum motivo particular de cada passeio. MAS GERALMENTE, OS AVISOS SAEM NO MURALDEBUGARIN.COM, nas quintas feiras.

Quem quiser, estiver em duvida se vai acontecer ou não, pode se informar por nossos e mails. Ou por comentários no muraldebugarin.com. Respondemos a todas as solicitações de informações.


Pessoas que normalmente estão nos Jabutis:
Itana
Rose
BUGARIN
Cezar Brasileiro
Deraldodias(este, fazendo doutorado, tem sido menos freqüente)
Tude
Sergio Bezerra
George Argolo,(sumiu!!)(anda pedalando nos matos, fazendo cicloturismo rápido, com o parceiro Fabio Lopes, pela região do Reconcavo baiano)

Tio Lu.(em campanha para a esposa, Sued, em Muritiba)

Fazemos questão que não compareçam os apressados, mal humorados, indisciplinados, pessoas que não se adaptam a regras de convivência em grupo, que reclamam de tudo, que não se adaptem às improvisações decididas no roteiro.

Temos respeito pelo que cansar. Temos que esperar. Se a pessoa quiser desistir de continuar pedalando, por qualquer motivo, decide-se na hora o que fazer com a pessoa ou pessoas: ela volta só, se acostumada a isto, volta em táxi, com despesa por conta do desistente, ou retornamos com a pessoa. Mas não será, jamais, abandonada no passeio. Marcada uma saída para mais longe, se alguém tiver compromisso de hora para voltar, deve avisar antes do início do passeio, a fim de podermos ajustar da melhor forma. . Então, antes da saída, todos já devem avisar que horas devem estar em sua casa para , em conjunto, decidirmos o que fazer. Se furar um pneu, quebrar uma bicicleta, decidimos na hora o que fazer, protegendo sempre o mais fraco e o bom resultado do pedal. Não abandonamos o participante. Todos têm que esperar. Quem preferir, pode deixar o grupo e voltar sozinho.

Nada de buzinadas, gritarias, desrespeito às pessoas. Isto nem é pensando nos Jabutis. Simplesmente não acontece. Havendo um batedor, sempre pedimos para jamais ultrapassa-lo. Temos isto como uma falta grave, mesmo quando não reclamamos.

Trazer água em mochila , cestinha, ou camel back . É um item importante ,principalmente quando o grupo for maior, para evitar paradas desnecessárias. Com pouca gente, o que normalmente acontece, não há problema, mas quando há muitas, multiplicam-se as paradas desnecessárias, o que retarda o passeio, sem necessidade.

O destino final, se marcado, também é rigoroso: temos que lá chegar. Pode, no entanto, ser alterado por algum incidente ou por segurança.. Mas a saída pontual da partida é dada. Ainda que apenas com um só pedalante. O único compromisso mesmo é com o horário da saída. O destino final pode não acontecer, se algum motivo, notadamente de tempo, condições físicas de alguém e segurança justificar.

Se tivermos que apanhar alguém no caminho, e nos comprometermos a tanto, não ligamos, telefonamos ou interfonamos: a pessoa deve estar no local combinado, em frente da casa, ponto ou prédio. Se não estiver, seguiremos. Não marcamos horário para apanhar. O compromisso é só de passar no exato ponto combinado.

Há muitas fotos de passeios jabutis no muraldebugarin.com , em “galeria de fotos”.


JABUITS NÃO TEM DONO, NÃO TEM CHEFE, TODOS OPINAM E DECIDEM ONDE HOUVER PROBLEMA, COM RESPEITO, EDUCAÇÃO, SEM PRESSA, sem gritarias, ESTRESS OU VAMO VAMO. MAL HUMORADOS, NEM PENSAR EM APARECER. Apressados, estressados, corredores, indisciplinados, gente que não cumpre horário e outros itens combinados, não são bem aceitos nos Jabutis. Melhor criar o seu próprio grupo. E vamos aplaudir. Poderão ser felizes para sempre: “ eles lá, nós cá.”

Evitar atender celular enquanto pedala, por problemas de segurança. Evitar também ficar parando toda hora para atender celular. Isto não é bom para ninguém. Nas paradas, ficam à vontade para falar ao celular, ligar de fone publico. Haverá muitas paradas que permitem as comunicações com amigos e familiares. Quem tiver familiares doentes, crianças em casa, algo semelhante, fica liberado para atender e parar na hora que quiser.

Fora estas situações, não atenderemos celulares , telefonemas antes dos horários marcados para as saídas para evitarmos aqueles “me aguarde que tô indo” “Me aguarde que tô chegando” . Jabutis tem coração mole e pode esperar. Mas é sem nenhuma vontade.

Quem quiser sair no jabutis, comece agendando: os avisos são postados no muraldebugarin.com, a partir das quitas feiras.

No passeio, sempre paramos muito para fotografar, conversar com amigos, pessoas e coisas que encontramos pelo caminho. Se alguém quiser fotografar, não se iniba em pedir uma paradinha. Quem encontrar amigos pode ficar à vontade para parar , abraçar, beijar, conversar, O TEMPO QUE QUISER. Observar apenas o problema de segurança e combinações com os demais.

O passeio é lento. Mas a pessoa deve estar acostumada a pedalar, ainda que apenas em aula de academia; e que se equilibre em cima da bike. As ladeiras, quem não agüentar subir pedalando, não se iniba em descer da bike para empurrá-la. Jabutis adora empurrar bicicleta nas subidas das ladeiras, de qualquer tamanho, extensão ou aclividade. E não se cansa em nenhuma; lembramos sempre que Salvador não tem ladeiras para bicicleta. Para a magrela, Salvador é plana. JABUTIS ADORA TAMBÉM EMPURRAR BICICLETA. FAZ PARTE DA SUA CULTURA. ATÉ NO PLANO EMPURRAMOS NOSSAS MAGRELAS. É A HORA DA CONVERSA, OU DO APERTO DO TRANSITO.

Há vezes que fazemos passeios para fora da Capital, até para longas distancias e até mais rápidas do que os que fazemos na cidade. Para os mais distantes: Ilha de Itaparica, Santo Amaro, Praia do Forte e outros locais que costumamos ir, desaconselhamos aos que não estejam preparados fisicamente. À medida que se pedala nos Jabutis, sabemos quem pode ou não. MAS TODOS QUE PEDALaM CONOSCO SEMPRE CONSEGUEM, POIS NUNCA PEDALAMOS FORTE. E SEMPRE RESPEITAMOS Os MAIS FRACOS.
Jamais devem os ciclistas se afastarem uns dos outros nos passeios. Vamos pedalar sempre juntos, em todos os sentidos.



Sugestões serão sempre bem vindas.


No muraldebugarin.com e no bikebook.com.Br, há milhares de fotos dos passeios dod Jabutis Vagarosos e de outros grupos.

As fotos são postadas no muraldebugarin.com em “galeria de fotos”. Para ver as mais anigas, é so clicar na palavra “próxima”, embaixo da pagina do mural.

No bikebook.com.Br, as antigas podem ser vistas clicando em “postagens mais antigas”

Veja fotos dos passeios jabutis no muraldebugarin. E
bikebook.com.br

contatos:
valcibarretoadv@yahoo.com.br
itana
alberto.bugarin@gmail.com
Sergio bezerra

WWW.BIKEBOOK.COM.BR-PEDAL DAS FRALDAS

PEDAL DAS FRALDAS E DA LIBERTAÇAO.


— valci barreto
editor do bikebook.com.br
colaborador do muraldebugarin.com


Caros Ciclistas baianos:

COMO EU NAO SEI DESENHAR, "DESENHEM " na cabeça de voces: SEU E DE TODOS OS CICLISTAS:

Formem seus grupos de cinco, dez , de mais ou de menos pessoas e saiam pedalando em filas indianas pelas ruas da nossa cidade. Pode ser de cinco ou de cinco milhões de ciclistas. Podem ser todos juntos ou em grupos separadas.

Agruegem-se a pessoas com as quais voce tenha afinidade de ritimo, gosto, forma de ver e de viver. Aprendam e ensinem a civilidade e segurança no pedal. Eduquem e sejam educados com o carro, pedestres e ciclistas.

Saiam de qualquer lugar, de qualquer canto da cidade e pedale. Vá ganhando as ruas, sem precisar esperar que um grande grupo se forme. Fá formando o seu, de acordo com seu jeito, gosto e economia. Não tenha vergonha da sua camisa e da sua bicicleta barata.Quem faz ela feia é sua falta de orgulho , de carinho com o que é seu, com o que voce pode ter e pagar. Curta seu pedal, sua rua, sua cidade, SAINDO DE TODOS OS CANTOS E EM TODAS AS DIREÇÕES, OCUPANDO AS RUAS, QUE POR DIREITO é TAMBÉM DAS BICICLETAS. Agregue-se a outros grupos. Mas escolha as pessoas que lhe respeitem , que respeitem seu jeito , sua bicicleta, sua forma de ser. E, se não está treinado, não se junte a quem pedala forte porque aí, um vai atrapalhar o outro. Conheça todos os grupos e forme o seu.

Precisamos de sua ajuda para que o PEDAL DAS FRALDAS , SEJA O INICIO DESTA NOVA EXPERIENCIA.

EXPLICANDO:

Os ciclistas estão viciados em só pedalar quando alguém chama , quando há um grande evento, tipo asbeb/asbb e outros: ficam lá uma , duas horas, esperando sair, aguardando toda uma estrutura:
Carro de som, batedores, policia, camisetas , carimbos e protocolos.

Nada contra os grandes eventos. Muito pelo contrário. Eles são muito importantes e tem ajudado , com sua experiencia a formar grandes e numeros grupos de pedais. É, também, muito importante para as pessoas saberem das coisas do mundo do pedal baiano.

Mas vamos estimular: criação de pequenos grupos tipo Lebres, Naturabikeação, jabutis, Piratas de Bike, Amigos de Tony, Suba Ai ,Pedalada da Noite, Pedal da Familia, PEDAIS DA ESTRADA e tantos outros. Para pedalar, não há misterios. Basta um pouco de treino. Milhares de pessoas já estão pedalando por aí, até sozinhos, com segurança.

O sentido é ocupar as ruas com bicicletas. Tentar educar em todos os sentidos, inclusive fazer chegar até os motoristas de carro, que bicicleta tem o mesmo direito de usar as ruas que são usadas para os carros. Que não há pista exclusiva para carros.

Que não devemos aguardar construção de ciclovias para poder pedalar. Temos que ocupar as ruas: com civilidade, respeito, dignidade, sem barulhos , corridas ou correrias.

Imagine centenas de pequenos grupos, saindo de todos cantos da cidade para pedalar por ai, com os cuidados, atenções , respeito, civildiade, que deve prevalecer em qualquer lugar.

Vamos todos, já desta forma , realizar o

PEDAL DAS FRALDAS, DO JEITO QUE ESTÁ POSTADO NO MURALDEBUGARIN.COM E NO BIKEBOOK.com.bro.


VARIOS GRUPOS CICULANDO POR TODA A BAHIA. ESTE VAI SER DAS FRALDAS . Mas também um símbolo, um marco de uma nova história de ciclismo baiano em direção ao uso da bicicleta como meio de transporte, que é nosso objetivo maior, por tudo que já conversamos e escrevemos.

VAMOS AVANÇAR PARA NÃO HAVER DESTINO NEM CONCENTRAÇÃO em um só local. Vamos estimular os grandes mais também os de apenas ,tres, quadro cinco pessoas, que podem ser reunidas em qualquer hora e local para se dirigir para onde se sentir seguro; e nas direções que mais alegrar a cada grupo. Há quem prefira a orla, outros os centros e as periferias de Salvador. Em todo canto da nossa Bahia vale a pena pedalar.

VOCE, Leitor, ITANA, OS ARTISTAS DA BIKE E DAS COMUNICAÇOES . Vamos , quem estiver de acordo, propagar esta idéia com cartazes, panfletagens, desenhos, comunicações visuais, vamos nos educar e educar para o transito.

Estou publicando aqui a mensagem, para que outros também possam, se puderem e desejarem, colaborar com os movimentos cicloativistas.

Está na hora de não ficarmos limitados a passeios dos grandes grupos: todos são grandes, ainda que de apenas duas pessoas pedalando por aí.

O pedal das Fraldas será, TAMBÉM, A PREPARAÇAO PARA O DIA MUNDIAL SEM CARRO, EM SETEMBRO: sem lider, sem comando, sem destino, mas sem carro. Ou com destino. MAS VARIOS DESTINOS, TRAÇADOS POR CADA GRUPO OU PESSOA.
Leia na internet a proposta do que é o DIA SEM CARRO. FAÇA O SEU E SAIA POR AI, COM ORGULHO DE SEU PEDAL, DE SEU GRUPO, DA SUA PESSOA E DA SUA BICICLETA.

EM NOSSO MOVIMENTO, AS PESSOAS SÃO IMPORTANTES, MAS O PEDALAR TAMBÉM. PEDALE, PEDALE; EM QUALQUER GRUPO. SE NÃO ACHAR NENHUM QUE LHE AGRADE, FORME O SEU E SAIA POR AI.

TREINE ANTES, POREM, UM POUCO QUE SEJA, COM OS JÁ EXISTENTES.

e lembre-se,

SE TEM PEDAL, TÁ NO MURAL

JABUTIS VAGAROSOS NOS DIAS: 30 E 31.08.2008

www.bikebook.com.br
JABUTIS VAGAROSOS.Tem jabuti no sábado: saída pontual, 09 da manhã,da frente da Padaria Apipão, na Sabino Silva, Jardim Apipema. Quem tiver dúvidas, quiser bater um papinho, deve chegar antes das nove e ficar na padaria:lá tem mesas para tomar café. NÃO venha estressados, apressados; quem não tem paciencia de esperar o mais fraco, também não deve aparecer para não estressar os inciantes, nem se estressar.INICIANTE TEM QUE SER APOIADO E NÃO APRESSADO; no JABUTIS É ASSIM; e o DIA DE SABADO,normalmente, é uma "encomeda de pedal", de iniciantes. Iniciantes na rua .O interessado já deve saber pedalar, ainda que dez minutos sem cair da bicicleta. É para quem já pedala. Ensinamos a enfrentar o transito das ruas, dando-lhe estimulo ,coragem, estimulo para entrar no mundo das bicicletas. É um paseio alternado: monta, empurra, monta de novo e assim vai até o seu destino.Não há roteiro fixo. É o que for acontecendo.

O Jabutis deste sabado, é uma "encomenda" para uma sobrinha de Elena. E , provavelmente, uma filha de Ithea. Ambas terão bicicletas emprestadas, se não já compraram as delas.

Além destas duas, não temos mais bici para serem emprestadas.

Não vir sem ler a CARTILHA DOS JABUTIS, que está publicda no muraldebugarin.com e no
www.bikebook.com.br (ver em postagens mais antigas, até achar) . No mural, vá clicando na palavra "próxima". No www.bikebook.com.br, vá clicando em "postagens mais antigas, que chegam até a CARTILHA.

ELENA JÁ DEIXOU AQUI O PRESENTE DO PEDAL DAS FRALDAS PARA LAZARO.

E VEM NOVIDADES AI PARA NÓS CICLISTAS. -SE TEM PEDAL, TÁ NO MURAL!!!


já no domingo, dia 31 O JABUTIS ESTARÁ NO PEDAL DAS FRALDAS. O ROTEIRO É O MESMO DO BICIFRALDAS, QUE JÁ ESTÁ POSTADO NO MURALDEBUGARIN.COM E NO BIKEBOOK.COM.BR.

NO DE DOMINGO, O JABUTIS ESTARÁ, PONTUALMENTE, ÁS 8.30, NO COMITE DE GILSON CUNHA. DE LA, IREMOS PARA O URUGUAI, CASA DE LAZARO.

qualquer dúvida, não precisa ligar é so se comunicar por aqui ou pelo nosso e mail
valcibarretoadv@yahoo.com.
itanamangiere
alberto.bgarin@gmail.com ou postar comentarios no muraldebugarin.com

=

SE TEM PEDAL, TÁ NO MURAL!

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

MANDAIA NO SESI DO RIO VERMELHO.






De Segunda a Sábado, na Varanda do Sesi, no Rio Vermelho, há sempre bandas, musicos, shows. Há dois horários, das 19 às 21 horas e a partir das 22 horas.

As fotos acima são da apresentação do grupo de chorinho Mandaia, que se apresenta todas as quintas, das 19 às 21 horas. Na foto, Valci, suas filhas Luciana e Juliana, o genro Henrique e a turma do Mandaia .

Após apresentação de peça teatral, que tem início às 21 horas, o espaço , nas quintas ,é ocupado pelo grupo Janelas Brasileiras.


Aos sabados apresenta-se SALADA MISTA, que está comemorando dez anos de muito samba de qualidade. Não há cobrança de ingressos. Paga-se o que consome e couvert artistico.

valcibarretoadv@yahoo.com.br

Samba dos Engenhos, HOJE às 19h no Teatro IRDEB, fim de linha da Federação: grátis


Depois da apresentação em sua sede, no Engenho Velho de Brotas, o Espaço Cultural Pierre Verger leva o espetáculo cênico-musical "O Carnaval e o Samba Junino dos tempos de Pierre Verger" para o Teatro do Irdeb, na TVE, Final de Linha da Federação.


O projeto teve a participação de crianças e jovens da região e é o primeiro resultado de pesquisa realizada com moradores, resgatando vários momentos da história do bairro e suas tradições musicais, especialmente o samba junino. A apresentação também inclui a projeção de fotos de Pierre Verger contextualizando o tema e a época. entrada franca.


Informações: 3203 8400 ou 3203 8409
PARA QUEM NÃO CONHECE A HISTÓRIA ...(Coloaboração enviada pelo artista ARTHUR AGUIAR)

Quando ouvimos algo e não sabemos o por quê... mesmo assim, dá pra fazer
poesia com uma história triste. cabe a nós, tentarmos interpretar! !!
Mas sem o contexto, fica difícil não??

- Djavan teve uma mulher chamada Maria. Os dois teriam uma filha que se
chamaria Margarida, mas sua mulher teve um problema na hora do parto e ele
teve que optar por ela ou por sua filha.
Perdeu as duas por obra do destino.
Agora é possível entender a letra da música, sobre o ponto de vista de
Djavan para o mundo, transformando sua dor em arte.

Flor de Lis

Valei-me, Deus!
É o fim do nosso amor
Perdoa, por favor
Eu sei que o erro aconteceu
Mas não sei o que fez
Tudo mudar de vez
Onde foi que eu errei?
Eu só sei que amei,
Que amei, que amei, que amei

Será talvez
Que minha ilusão
Foi dar meu coração
Com toda força
Pra essa moça
Me fazer feliz
E o destino não quis
Me ver como raiz
De uma flor de lis
E foi assim que eu vi
Nosso amor na poeira,
Poeira
Morto na beleza fria de Maria

E o meu jardim da vida
Ressecou, morreu
Do pé que brotou Maria
Nem Margarida nasceu.

E o meu jardim da vida
Ressecou, morreu
Do pé que brotou Maria
Nem Margarida nasceu.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

CASAL ITALIA/ESPANHA FAZ A FESTA NO PEDAL!

Olá Itheia e Greg Adorei a aventura de vocês. dois! Coincidentemente no domigo passamos no Santo Antônio, Eu, Valci e Deraldo,um amigo nosso que pedala conosco E claro lembramos de Vocês Valci inclusive me perguntou : Rose aonde fica a casa de Itheia e Greg? Serã que estão por aqui? Confesso que não gravei bem qual é a casa em que residem.,respondi. Mais acho que estavamos sintonizados , e espero em breve participarmos de uma aventura dessas juntos, com certeza será maravilhosos. E parabens Ithéia, gostei da sua coragem e determinação de pedalar, e enfrentar os obstáculos, principalmente as ladeiras. Beijos. Rose

Em 25/08/08, Ithea Baqueiro escreveu:

ITALIANO, ESPANHOLA E JABUTIS Aug 25, '08 4:47 PM
for users Valci e Jabutis


Manhã de sábado, acordamos com um enorme desejo de encontrar nossos amigos e sair por aí de bicicleta, mas primeiro as obrigações, levar a filha no colégio para fazer uma prova.


Assim, logo cedo estávamos no Farol da Barra, apreciando a chuva, ali no lugar onde se vendem cocos, e esperando a hora de encontrarmos os simpáticos amigos... Não teríamos muito tempo, pois um compromisso social nos tiraria do passeio ao meio dia, mesmo assim, insistimos com São Pedro, certos de que a chuva cederia lugar a um lindo dia de sol e o nosso passeio seria um sucesso!

Fomos ao Apipão no horário combinado e ali nos encontramos com o sorriso festeiro de Valci, nosso anfitrião e batedor, o disposto Bugarin e alguns amigos também sorridentes, não poderíamos desejar melhor acolhimento! Sentimos falta de Rosi, mas acho que a chuva deixou-a na cama quentinha e gostosa!

E então começamos a pedalar pela cidade.

O destino seria a Pituba, mas o tempo não nos ajudou muito, e depois de algumas paradas, para afinar a bike do Bugarin, encher pneus, esperar a chuva, ficou tarde para nós, ainda na Ondina e mesmo que um pouco sentidos, optamos por parar, e voltamos sem ter participado totalmente da festa!

Na nossa boca ficou um gosto de "Quero Mais"!

Outra festa nos esperava e fomos desfrutar de uma deliciosa feijoada com amigos queridos, comemos muito, bebemos o suficiente, dançamos com muita disposição e voltamos para a casa felizes e fartos, mas a bicicleta não nos saiu do pensamento...

Acordamos tarde, muito tarde... uma preguiça boa foi afastada pela disposição do Greg me convidando para um passeio diferente, e me convenceu, Graças a Deus, pois foi um dia inesquecível!

Um breve café da manhã, roupas adequadas, luvas, boné, remédio para dor de cabeça, azia, água, documentos, celular, um pouco de dinheiro e um cartão de crédito seria o nosso "kit de sobrevivência. E às onze horas de uma linda manhã de domingo saimos pedalando pelas românticas ruas do Santo Antônio

Feito uma louca desci a ladeira da Água Brusca, cheia de medo, o coração na boca, uma alegria de criança tomou conta de mim e decidi não lutar contra, simplesmente me deixei levar, colocando em prática o artigo 19 (o que ocorrer).

Chegamos ao Terminal do Ferry Boat e depois de uma pequena espera, iniciamos a travessia. Eu ainda temerosa, sem saber se seria capaz de tamanha aventura... Teria eu a resistência necessária? As pernas aguentariam?

Fim da travessia e começamos finalmente a pedalar. Um dia lindo, um sol nem quente e nem frio, um ar de aventura e uma alegria desconcertante.

Pedalamos pensando naquela turma de sábado, que foi tão prematuramente abandonada por nós:

- Ah como seria maravilhoso tê-los agora conosco!

Helena teria adorado, pois os carros não nos incomodava e nem nos amedrontava. A pista era boa, apesar de algumas ladeiras, que em alguns momentos quase me fizeram desistir, mas eu pensava nos "Jabutis Vagarosos" e ganhava novo fôlego.

Greg me estimulava, muitas vezes, literalmente me empurrando, e quando já achava que não conseguiria, (nosso destino era Barra Grande), chegamos ao Clube Med. Entramos no condominio Lagoa Dourada, onde um simpático porteiro chamado Evandro, nos abasteceu de água e nos deu passagem.

Fomos pedalando dentro do condominio de casas quase abandonadas, pois o inverno afasta os moradores veranistas da ilha, ouvindo apenas os pássaros e o ruido suave das nossas pedaladas. Chegamos na praia e paramos um pouco para desfrutar de toda a paz e tranquilidade que ali encontramos.

A praia do Club Med estava quase deserta também, então resolvemos ir a uma barraca de praia em Cangussu, bem pertinho, pra comer alguma coisa, descansarmos um pouco e voltarmos.


Chegamos ali por volta das 16:00 hs, muito tarde para quem iria retornar pedalando! Comemos na barraca de Conceição, uma salada de polvo (cara e sem grandes chances no mundo gastronômico internacional), mas para a nossa fome nos pareceu melhor do que era realmente.

E voltamos para a estrada, afinal teriamos ainda 13 km para percorrer até o terminal, eu ainda pensava nas ladeiras que desci, pois na volta seriam subidas e me pareciam pavorosas.

Greg me convenceu, de que as ladeiras eram a melhor parte da história, que eram puro divertimento, que era tudo uma questão de cabeça e não apenas de pernas. E para minha surpresa, e gratidão de Greg, (que pacientemente parava quando eu pedia, me dava água e palavras de encorajamento), constatei que o meu desepenho melhorou muito! Já não pedia para parar tanto e me arriscava mais nas descidas, sem medo, com o vento fresco batendo no rosto, e um gosto de liberdade sentido apenas pelos passarinhos que podem voar!

Greg que é velocista, em momento algum desistiu de mim, e com grande paciência foi me levando até o final da nossa jornada. E chegamos.

O Ferry parecia muito confortável agora! Ficamos ali sentadinhos, comendo castanhas, uma cervejinha só pra molhar o bico e relaxar, (que ninguém é de ferro!) e muita conversa agradável! De novo os Jabutis estavam nos nossos pensamentos... Como teria sido bom se todos estivessem conosco naquele momento! Imaginamos a algazarra que fariamos, depois dessa aventura e como teria sido divertido!

Mas ainda não tinha acabado e para mim, o pior estava por vir, pois a ladeira da Água Brusca, que desci tão cheia de entusiasmo no começo da nossa aventura, agora tinha se transformado num pesadelo, um desafio a enfrentar! Pensei em desistir e pedi ao Greg que fosse em casa buscar o carro, eu ficaria esperando por ele no Terminal, mas ele, incansável estimulador, me convenceu a prosseguir e fomos nós, já sete horas da noite, enfrentarmos juntos o monstro! Passei na frente no Mercado do Peixe a toda velocidade, buscando ganhar impulso para me ajudar na subida e gritei:

- Diversão à vista Greg!!!

Subi não mais que 200 metros e as pernas acabaram, me sentindo insignificante, desci da montaria e com o resto de orgulho que ainda possuia, comecei a empurrar a magrela, cada passo que dava as pernas reclamavam, nesse momento tinha dois quilos de chumbo nos meus sapatos e a subida se transformou num suplicio! Greg percebeu e gentilmente tirou a bike da minha mão, subiria ele empurrando as duas bicicletas e com doces palavras de incentivo conseguiu me levar até o topo, onde só chegam os vitoriosos! Mais uma vez montei na criatura e consegui chegar até a porta da nossa casa, vencida, mas não derrotada!

Enfim o merecido banho! Muito cansada ainda fomos comer um delicioso churrasco e na volta, ao deitar na minha cama, minha alma estava sorrindo. Dei um beijo no meu Greg agradeçendo por ele ter acreditado e nunca ter desistido de mim, fechei os olhos e sonhei com os "Jabutis"...
Tags: vivendo saude!

Beijinhos sempre
Ithéa
===============================

PARABENS AO CASAL, PELA AVENTURA. AS FOTOS NÃO ABRIRAM. SUGESTÃO: MANDEM AS FOTOS PARA alberto.bugarin@gmail.com. ele publica e nós copiamos!

Ele adora fazer isto. E nós adoramos copiá-lo!

forte abraço.

valcibarretoadv@yahoo.com.br

--------------------------------------------------------------------------------
Instale a Barra de Ferramentas com Desktop Search e ganhe EMOTICONS para o Messenger! É GRÁTIS!
ResponderResponder a todos Mover...Arygil CerqueiraFernando BritoIr para a mensagem anterior | Ir para a próxima mensagem | Voltar para as mensagens

NÃO VOU VER JOAOZINHO NO TCA





===fotos, em tamanho maior, foram recortadas do www.correiodabahia.com.br.
"Ingressos para show de João Gilberto são negociados por até mil reais
Redação CORREIO
Depois de acabarem em aproximadamente 40 minutos, os ingressos para a única apresentação de João Gilberto em Salvador, dia 5 de setembro, já são negociados com ágio pela internet.

Em comunidades do site de relacionamento Orkut, os bilhetes para o show são oferecidos com preços que variam entre R$ 250 a R$ 1 mil. Nas bilheterias, os preços oficiais iam de R$ 30 a R$ 180.

Segundo testemunhas, apesar dos cuidados da produção do evento em evitar a ação dos cambistas, os mesmos atuavam tranqüilamente na frente do Teatro Castro Alves antes das 13h40 - hora em que as vendas foram encerradas.

Conforme apurou o CORREIO, muitos internautas estão reclamando que chegaram cedo para pegar senha nos postos SACs (Serviço de Atendimento ao Cidadão) e mesmo assim não conseguiram comprar seus ingressos.

“Passei a noite sem dormir! cheguei no SAC Iguatemi às 5h, peguei a senha, e na hora de comprar, já havia esgotado!” reclama um fã no Orkut.

Foram colocados 1187 ingressos à venda. O que representa 77% do total dos 1554 lugares disponíveis na Sala Principal do TCA. O restante, 23%, foi destinado para a produção do evento, patrocinadores e direção do Teatro Castro Alver e Secretaria de Cultura.

(Atualizada hoje às 12h)"_recortado do correiodabahia.com.br
====================================================================




NÃO VOU VER JOÃOZINHO NO TCA


Valci Barreto

Publicado no www.bikebook.com.br
Colaborador do muraldebugarin.com
valcibarretoadv@yahoo.com.br



Infelizmente, não irei ver nem ouvir um dos meus ídolos, João Gilberto. Além de todos os ingressos já estarem esgotados, os da primeira fila ,onde gostaria de estar, merecidamente foram para as mãos premiadas das cortesias, mesmo antes das vendas . Nada contra. Eu também gostaria de ocupar uma daquelas poltronas, até pagado o preço possível.

Mesmo quem não gosta, não ouve João Gilberto, jamais quererá perder o glamour imposto pela mídia, influencias, poder econômico, facilidades ou mesmo pelos sacrifícios das filas naquele templo da arquitetura e cultura baiana.

Jamais enfrentei ou enfrentarei grandes filas para ver ou ouvir qualquer artista, por maior que seja a minha admiração pela sua obra.Durmo em barraca por um passeio ciclístico, para levar um doente ao SUS, como já fiz e faço. Porém, mesmo quando novo, não faria o mesmo para um show dos grandes ídolos populares, de qualquer área do conhecimento , religiões, políticos ou das artes; nem mesmo se ressuscitassem os grandes gênios. Porém, se estivesse certo de que adquriria ingressos para o show do João, no TCA, seria até divertido enfrentar alguns dias de fila. Tiraria até férias do trabalho para este fim.

Para os outros artistas, acho desnecessário. Há tantas coisas boas, divertidas para serem feitas na vida que prefiro os caminhos alternativos, bem longe das filas e competições para adquirir algum ingresso de shows ou eventos esportivos.

Os competentes marqueteiros conseguem levar pessoas a qualquer lugar, fazem pagar qualquer preço por um glamour , mesmo não gostando ou não sabendo usar o produto.Levam agora, felizmente , para ouvir o João.

Muitos dos que estarão no glorioso dia no TCA, preferem axés e arrochas de má qualidade.(nada contra os dois; há bons exemplares ,pena que poucos, possíveis de serem ouvidos)

A última vez que pude assistir, ao vivo, a um show de Joaozinho, foi na Concha Acústica, ao lado de uma das minhas filhas que até hoje também o curte. Naquele dia, não houve fila. Quem quis, conseguiu ingresso fácil. A Concha não era nem é o TCA. Mas o João era o mesmo. Talvez até mais João e mais Gilberto.Deu para acolher todos que quiseram assisti-lo. Ingressos baratos, sentadinhos no cimento das escadarias da Concha, curtimos um João autentico. Ficamos emocionados durante toda a sua apresentação, para ouvir, lecrimejantes, confesso, a sua vozinha ecoando em nossos corações, no final:

"Eu queria ficar aqui, o tempo todo,tocando e cantando com voces". Sem luz artificial, sem poltronas, e sem ar condicionado contra o qual ele tanto reclama, foi, em tudo, JOÃO GILBERTO.

Minha filha, ainda garotinha, sabendo da fama do artista em se atrasar, não comparecer, ou simplesmente abandonar o palco por alguma espirro , som de asas de algum mosquito,ou mínimo defeito de equipamento,perguntava ao entramos na Concha naquele dia:"será que ele vêm , meu pai?"

Tentei fazer-lhe compreender: Lu, quando a gente vai a um show de João, fica feliz se ele aparece e canta. Mas se não aparecer, ou aparecendo , não cantar, não faz qualquer diferença de tanto que ele representa para seus verdadeiros fãs. Para nós, basta ele existir e podermos ouvi-lo em rádio, cd ou, por alguma sorte, ao vivo.

Quem é gilbertiano, fica feliz até quando ele não vem. Comprar o ingresso, esperar, é obrigação de seus súditos.João aparecer, atrasar, cantar ou não, será sempre um detalhe que pode ser descartado.Ele não tem nenhuma obrigação para seus fãs senão ter feito o som "mais baixo possível, para ser ouvido o mais longe possível”. Ouvi-lo ao vivo, é glória que pode não alcançar até mesmo quem adquiriu ingresso para seu show.

Diferente do que faria por qualquer outro artista, enfrentaria qualquer fila, ainda que apenas para comprar ingressos. Porém, nem isto será possível neste ano de comemoração da criação da Bossa Nova.

Além do mais, jamais quereria eu estar só: Se não pudesse levar familiares, amigos, iria sofrer muito.Por mais egoista que seja um gilbertiano, não deve ir sòzinho ao seu show; deve sempre fazer-se acompanhar da mulher, namorada, um irmão, um amigo próximo, ou mesmo um inimigo com quem se deseja fazer as pazes.

Portanto, nem adianta alguém ligar dizendo que tem um ingresso para mim, como presente ou pagando. Mesmo que achasse um só na rua, não me serviria. Vou sòzinho a qualquer lugar que caiba uma só pessoa. A show de João, jamais. Eu teria que ter, pelo menos, uns dez! Os meus íntimos , filhas , familiares, jamais suportariam contar-lhes como foi!

Para os sortudos, um bom JOAO para voces!

==================================================================================
Ô Geraldo,(Alkimin )cadê você? O João Gilberto atrasar tudo bem, mas você não - reclamou Farid se referindo ao cantor que em um show no Parque do Ibirapuera, na semana passada, se atrasou por pouco mais de uma hora e trinta minutos.(jb on line)
=======================================================

Duas Luas no dia 27 de Agosto


É HOJE!!!


Todo o Mundo está à espera.
O Planeta Marte será o mais brilhante no início da noite.
Parecerá tão grande quanto a Lua cheia.

Isto acontecerá no dia 27 de Agosto quando o planeta Marte ficará a 34.65M milhas da Terra.
Veja o céu no dia 27 de Agosto!
Parecerá que a Terra tem 2 luas.

A próxima vez que ele ficará tão perto da Terra será em 2287. Partilha com os teus amigos pois NINGUÉM VIVO HOJE voltará a vê-lo!


Forró, pop, samba, afro: música para todos os gostos!


Aloísio e Portela - A dupla apresenta o show Afro-Batá, que traz interpretações de canções de Cartola, Jorge Ben e Carlinhos Brown. Theatro XVIII – R. Frei Vicente, 18, Pelourinho (3322-0018). Ingresso: R$ 4 . Quarta, 27, 20h.

Virgínia Luz - A cantora e compositora retorna com o show Atemporal Teatro Sesi (Rio Vermelho - 3334-0668). No repertório, novas canções de sua autoria e reeleituras de músicas de compositores da MPB, passando pelos ritmos do ijexá, samba, baião, pop-rock e funk. Presença de artistas convidados: Tito Bahiense, Sandra Simões e o Grupo Menos Um no Quartteto. Ingresso: R$ 10 e R$ 5. Quarta, 27, 20h.

Tom Zé/Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta - O cantor e compositor baiano apresenta o show do novo CD Danç-Êh-Sá - A Dança dos Herdeiros do Sacrifício. O show de abertura é do grupo baiano Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta. Concha Acústica do TCA (Campo Grande - 3117-4885). Ingresso - 1 kg de alimento não perecível. Sábado, 30, às 18h30.

Zé de Tonha/ Salada Mista - Projeto Ajudar é Preciso - É com base neste tema que o Núcleo de Apoio ao Combate do Câncer Infantil – NACCI e o Núcleo Assistencial para Pessoas com Câncer – NASPEC se uniram para promover um show com o propósito de arrecadar doações. O evento leva para o largo as variadas atrações. Largo Tereza Batista - Pelourinho, Centro Histórico. (3304-0757 ou 9137-8498). Sábado, 30, às 15h.

JABUTIS, NO CORPUS CRISTIE DE 2007, LEMBRANÇAS E FORRÓ!

CORPUS CRISTIE, ORAÇÕES ,DISTRIBUIÇÃO DO FIFÓ 21, LEMBRANÇAS DE INFANCIA E VISITA A SEBOS. TUDO EM UM DIA SÓ... E DE BICICLETA !

valci barreto
Editor do www.bikebook.com.br
Publicado no MURALDEBUGARIN.COM, EM 2007

Sete de junho de 2007, aproveito o feriado do Corpus Cristie para mais um solitário passeio ciclístico pelas ruas de Salvador. Iniciando na Sabino Silva, aproveitando o plano do vale, sigo pela Centenário em direção à Sete Portas, um dos pontos a ser visitado. Ruas livres do trânsito louco dos dias normais, vou lembrando das procissões da minha infância em Jaguaquara, (Toca da Onça),com os postes e casas enfeitadas com palhas verdes de “licuri”, como chamávamos o côco de ouricuri, (que também enfeitou a minha infância), antes de melhor aprender a “Cartilha” com minhas professoras Mirtes, Elza , Iracema Val, Raquel, Pró ligia, Dona Lígia. Neste passeio, vai colhendo minha memória lembranças dos cânticos, sons dos sinos , padres e seus auxiliares dando beliscões nos meninos que não rezavam ou não se comportavam direito na procissão. Antes, durante e depois dos festejos, missas, mesas fartas, mesmo nas casas mais humildes , e os filmes sobre a vida de Cristo no Cine Bahia; Os babas , as proximidades dos festejos juninos, anunciadas nas roças de laranjas e milho, são recordações imorredoras. Hoje, neste passeio, não tinha como aquelas imagens não bolinarem a minha cabeça, trazendo-me saudades e um prazer maior na pedalada. Importava o meu pedal em alguns compromissos “sérios “. De todos eles, tinha certeza de que pelo menos um seria cumprido. Os demais dependeriam de outras pessoas e circunstâncias. Minha intenção era comprar mais alguns livros usados em mãos do senhor Alfredo, na Sete Portas, fazer o mesmo no sebo “O Livreiro”, do “Gaúcho”, na esquina da Poeira com a Joana Angélica, entregar alguns exemplares do ‘FIFÓ 21” no Point do Acarajé, Canela, e o mais importante de todos: participar do Ensaio Junino dos AMIOGOSDATOCA, no Imbuí. Menos o “Ensaio do Forró”, todos os outros poderiam falhar, em função do feriado. Por isto, a cabeça ficou ainda mais leve para voltar aos meus tempos da “Toca”.
Passo pelo Dique do Tororó observando muitas pessoas realizando rituais religiosos, alguns turistas contemplando a beleza da Lagoa e as esculturas dos deuses africanos que guarnecem e enfeitam suas águas. Entro no pequeno Largo da Sete Portas e me alegro ao ver o mercado aberto, a feira movimentada, as frutas expondo seus coloridos aos feirantes e passantes; e, lá na frente, “seu Alfredo”,” mesmo no feriado, expondo e vendendo cultura a preços que os mais humildes podem pagar. Adquiro alguns exemplares de livros e revistas. Um deles , de receita de salgados, tem um destino certo: minha amiga Jaí, com seu sorriso sempre iluminado, que me serve o cafezinho na Central do Carnaval. Pego algumas revistinhas em quadrinhos, que serão levadas para as crianças do NACCI, no bairro de Nazaré, em um próximo passeio dos “Jabutis Vagarosos”. Após as compras e o abraço no senhor Alfredo, sigo em direção a outro ponto, também parada obrigatória das minhas pedaladas pelo centro da nossa Capital: “ O Livreiro”, pequeno sebo do “Gaúcho”, em frente ao Ministério Público Estadual, esquina da Poeira com a Joana Angélica. Deixo com “Gaúcho” alguns exemplares do Fifo 21 para seus clientes. Retribui-me com elogios “pela beleza da edição”, segundo suas palavras. Compro alguns livros para minha pequena coleção de Gramática e Literatura e algumas revistas , em ótimo estado , Época, Veja, Exame, Cult e por aí vai. Após a leitura e reunião de um bom número delas em minha estante, serão doadas aos meninos do Beco do Panta, no Garcia e para o BICICLOTECA, passeio ciclístico que organizamos, junto ao amigo Lázaro, para manutenção da biblioteca comunitária, da Associação de Moradores de Marechal Rondom. Minha bike, por não voltar vazia, fica levezinha, ao transportar aquelas preciosidades, que não aconteceria se aqueles pontos de cultura estivessem fechados no Corpus Cristie. Após as compras, cumprimentos e promessas de retorno,sigo em frente: Joana Angélica, Piedade, (muitas orações católicas ecoam pelos ares, aguçando a memória da minha infância na “Toca.” Meu próximo destino é o Canela, desejando encontrar o empresário e artista plástico, ED RIBEIRO, do Point do Acarajé, para entregar-lhe alguns exemplares do FIFÓ 21. Afinal, foi ali o festivo lançamento da primeira edição. Os exemplares que levo, do número 2, contém muitas fotos e matéria sobre o evento, que contou com a participação de muitos artistas e empresários, a exemplo do querido Bel Borba, Anna Georgina , Tontom Flores e a “confraria “ da Padaria Apipão.
Point fechado, escolhendo um local para deixar o FIFÓ, sou abordado por alguém de uma barraca de frutas em frente, afirmando ser amigo do Ed. Enquanto peço a gentileza de guardar alguns volumes para posterior entrega ao ED, vendo-me de bike, pergunta se participei das comemorações do Dia Municipal do Ciclista, ocorrido no dia 03.06. Aí, a conversa ficou ainda mais fácil; e não mais tratamos de outra coisa, senão das magrelas. Era o Aloísio Silva, conforme se apresentou, da Banca Vida Natural, em frente ao Point, amante de bicicleta, competidor que compõe o grupo ciclístico Ervaciclo, quem tem sede no Largo Dois de Julho. Poucos minutos depois, aparece mais um ciclista: era o Evanival Macário, competidor de ciclismo, técnico em eletrônica, meu conhecido de outros passeios, que veio de bicicleta , desde Valéria, onde mora, para visitar o Aloísio e fazer , mais tarde, um treino pelas avenidas de Salvador.Durante o papo, aparece o ED, mudando a conversa para o Fifó, artes, livros e futuros eventos que pretende realizar. Tudo isto e mais a bicicleta. Cumpridas todas as minhas missões da manhã, despedi-me dos amigos. É que me aguardava o Ensaio do Forró da Toca, que dali a pouco aconteceria no Imbuí. Por conta da minha esposa, Ró, que não pedala, tive que deixar minha magrela em casa e seguir, (lamentando) de carro, em direção aos AMIGOSDATOCA.
Felicidade em todos os poros, já pelo passeio da manhã, foi ela aumentada pelo que via na minha frente, logo ao chegar ao local do “Ensaio”: Amigos, filhos e até netos de gente da minha infância e adolescência. Gente de várias gerações da “Toca da Onça”: JOSE ACURCIO, BIDÓ, BIA, JUNINHO, SERGIO BELEZA, YEDA , ANA, CARLITO, EDSON, ELBA EDNA....não precisa contar o resto. Não vou cansar, mais ainda, a quem leu até aqui.(Ainda bem que só lê quem quer, vantagem democràticamente assegurada por qualquer texto, livro ou revista!) Vejam as fotos. Mas não posso deixar de registrar: durante o forró, já no final, liga meu amigo Buga:
-“ Valci, hoje tem Santo Antonio no Aconchego da Zuzu. Dona Zuzu festejou, há alguns dias, os seus CEM ANOS!!”..
-“Buga, sei do aniversário, não sabia do Santo Antonio, não sei se vou agüentar ir até o Garcia depois do Forró da Toca. Se agüentar, dou pelo menos uma passadinha...”
Não mais estava nos tempos de Jaguaquara; não iria agüentar. E não agüentei.
-“Então , tire as fotos daí, que tiro as daqui, para postar em nossos sites. Insistiu o Buga.

-“Ora Buga, você acha que vou estar, na “minha casa”, ao lado de pessoas que quero bem, desde que nasci, e deixar de fotografá-las ? É mais fácil eu não tomar licor!!... Já fiz isto , meu caro.. E ainda filmei para você mandar para o You Tube!”
As fotos e os filmes vão dizer tudo aos meus conterrâneos. As palavras mágicas já foram pronunciadas em nosso encontro. E os compromissos acertados: estaremos, juntos, em mais um São em Jaguaquara. Vamos viver saudades das nossas vidas, construir mais estórias e histórias, guardá-las e usá-las, sempre com muito carinho, durante nossos encontros, como o de hoje; e durante toda a nossa breve, mas gostosa, existência na terra.
Caro Buga, não deu para ir ao Aconchego da Zuzu. Mas orei, também , para Santo Antonio , São Pedro, São João e todos os santos neste dia de Corpus Cristie, mesmo pedalando pelas ruas de Salvador e participando do “Ensaio Junino” dos Amigos da Toca.
Para a terra querida , o aviso:
“Aguarde nóis, “Toquinha” , “tamo chegando”...

Valci Barreto,
-Publicado no muraldebugarin.com
-As fotos do Ensaio Junino já estão postadas na “galeria de fotos”. Basta clicar.


Familia Val, de Jaguaquara, assistindo ao Canto da Praça, Jardim de Nazaré, Salvador Bahia, em encontro memorável com o grupo de passeios ciclístico JABUTIS VAGAROSOS.

Todos os domingos, das 09 às 12.30 o Canto da Praça, gratuitamente, se apresenta no Jardim de Nazaré. A apresentação é gratuita.

Curso de idiomas a preço acessível e com qualidade no Centro Histórico





(SB)

terça-feira, 26 de agosto de 2008

BICICLO FRALDAS + INAUGURAÇÃO de COMITÊ + EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA + PASSEIO CICLÍSTICO + ETAPA SALVADOR DE TRIATLHON do SESC

Fomos convidados, pelo nosso amigo, ciclista e candidato à vereador de Salvador,
Gilson Cunha, para participar, neste domingo, dia 31 de Agosto, da inauguração de seu
Comitê Eleitoral.
Junto à esta inauguração, nosso amigo Gilson Cunha promeverá mais dois
eventos: Uma exposição fotográfica e um passeio ciclístico pela região do Rio Vermelho.
Para esta exposição fotográfica, Gilson Cunha abrirá espaço para qualquer ciclista
que queira expor suas fotos. Para isto, basta levar uma cópia da foto escolhida
para seu Comitê Eleitoral que a mesma será exposta gratuitamente.
Em seguida, acontecerá o passeio ciclístico, onde além da presença de todos, Gilson
Cunha solicita aos grupos ciclísticos de Salvador, que compareçam com as camisetas
de seus respectivos grupos e/ou da ASBB.
O Comitê para a Campanha Eleitoral do nosso amigo Gilson Cunha está sediado na
Av.Caetano, 3 (esquina da Av.Vasco da Gama com a Av.Ogunjá
em frente ao Viaduto Luiz Cabral).
O Comitê estará à nossa espera a partir das 8:00 horas deste domingo 31 de Agosto
para prestigiarmos a inauguração do mesmo, exposição de fotos e iniciarmos o
passeio ciclístico às 8:30 hs.

Aproveitando a oportunidade de encontro com os amigos e o pedal Biciclo-Fraldas,
nós (Jabutis Vagarosos) estaremos também nos concentrando e recebendo as
doações de fraldas descartáveis (tamanho P, M ou G), itens de higiene e acessórios
infantis (novos ou usados) para o recèm nascido filho de Lázaro (Ajoyr) no espaço
do Comitê de Gilson Cunha a partir das 8:00 hs.
Quem não puder levar até o bairro do Uruguai, na residência de Lázaro, poderá entregar
suas doações no Comitê de Gilson Cunha que estaremos lá para receber.
E, após a inauguração do Comitê, exposição fotográfica e passeio, quem ainda
estiver disponível e com energia, poderá também nos acompanhar pedalando até a
casa de Lázaro, para a entrega de todas as doações arrecadadas, devagar, sem pressa
e parando pelo caminho para beber uma água de coco e/ou saborear frutas aproveitando
nosso domingo !
Endereço e telefones de Lázaro para doações:
celulares: 8822-5639 e 8782-5639
Rua Domingos de Abreu Vieira, 14, (meados do Bairro Jardim Cruzeiro), próximo ao final de linha da Vila Rui Barbosa, em frente a oficina de chaparia Carro Solar.

Depois da inauguração do Comitê de Gilson Cunha. Passeio ciclístico e Biciclo-Fraldas, ainda queremos prestigiar a Etapa Salvador de Triatlhon do SESC que acontecerá na Cidade Baixa.

Esse domingo está cheio de atrações ! Nos encontraremos lá !

===============

Abusando os leitores, peço licença a itana para acrescentar o seguinte:

SUGESTAO E ORIENTAÇAO PARA UM GRANDE PEDAL DAS FRALDAS e DA INAUGURAÇAO DO COMITE:


Conforme sugerimos, não precisa os ciclistas ficarem, tontamente, para la e para ca procurando os grupos. Cada um forma O seu grupo e vai seguindo. Ficar esperando dá estres: uns qurem correr, outros qurem buzinar, outros querem passar em uns lugares, outros não.

Quem já conhece o Jabuits, e se conforma com sua eficaz vagaaresa, conforme a CARTILHA DOS JABUTIS, pode nos acompanhar. Será um prazermos o dia todo pedalando, descansando, comendo, bebendo agua , caldo de cana, refresco, sentando e pedalando de novo, para cumprir a programação, estão todos convidados. Porém se quiserem se deslocar para lá e ficar rodando, pela região do uruguai, Ribeira, pode fazer também. è a melhor soluçao e contribuirá para a independencia dos pequenos grupos já existentes ou que estão se formando.

Com certeza, faremos todo o trajeto: INAUGURAÇÃO DO COMITE DE GILSON, DAREMOS NOSSO ABRAÇO ,ao querido candidato, FAREMOS O PEDAL DA INAUGURAÇÃO, PELO MENOS UM PEDACINHO E IREMOS, COM CERTEZA, ATÉ O URUGUA para abrçarmos AJHPOYR, DAREMOS LA UMA PEDALALADA PARA ESTARMOS NO ENCERRAMENTO DO TRIATLON. CADA UM FAZ SEU HORARIO, SEU CAMINHO EM DIREÇÃO AO URUGUAI. SE QUISER TAMBÉM IR CONOSCO, SERÁ UM PRAZER: MAS SEM BUZINADAS, PRESSAS, ESTRESS, VAMO VAMO. ATÉ MESMO PORQUE TEMOS CONVIDADAS QUE NÃO CORRE, que não está acostumada a pedalar uma distancia desta. E vamos levá-la. JABUTIS NÃO CORRE,ADORA PARAR TODA HORA PARA COMER BANANA ,JACA, MELANCIA, benber agua. Cada um faz a festa do jeito que achar melhor.

Quem é do movimento cicloativista, não pode ficar de fora deste pedal. Não pode deixar de fazer uma vista ao COMITE DO NOSSO QUERIDO GILSON . E NÃO PODE DEIXAR DE VISITAR AJOYR E SEUS PAIS, QUE TANTO CONTRIBUEM PARA NOSSOS MOVIMENTOS CICLOATIVISTAS.

Ele aceita ajuda em dinheiro também, para quem não quiser carregar coisas na bicicleta.

Será bonito, cada um levando uma fralda em um saco plástico, na mochila ou pendurada na bicicleta para AJOYR. eU LEVAREI DE CESTINHA!

Todos lá então. Jabutis não se compromete com horario em nenhum destes locais, excetuando o que combinarmos para a saida, que será determinada por itana, no comite de Gilson Cunha.

Projeto oferece capacitação profissional gratuita a mulheres de Salvador

A associação Resgate convida as jovens mães da comunidade da Polêmica, situada na av. ACM, e de outros bairros de Salvador-BA para participarem do projeto “Mulheres de Atenas” que oferece cursos de capacitação profissional gratuitos, inclusive os materias usados, com noções e encaminhamento para a abertura da pequena empresa e aquisição da carteira de artesão(ã), com direito a certificado: Crochê, Macramê, Rede, Fuxico, Flores desidratadas, Arte em garrafas descartáveis de plástico, Enfeites natalinos, cerâmica, tapeçaria, bijuteria, bordado, pintura em tecido, entre outros!!!

As inscrições serão feitas a partir do dia 25 de agosto de 2008(segunda-feira) das 08:00 às 16:00 horas pelo telefone: (71)3354-0764.

ICAJ NECESSITA DE DOAÇÕES PARA QUITAR CONTAS ATRASADAS

A Instituição Cristã de Amparo ao Jovem (ICAJ) atualmente abriga 18 menores pré-adolescentes e adolescentes órfãos ou impossibilitados do convívio familiar.
Estes menores do sexo masculino são encaminhados pelos Conselhos Tutelares, Ministério Público do Estado ou pelo Juizado da Infância e Juventude.
Além do abrigo, os adolescentes recebem assistência social, acompanhamento escolar, cursos de profissionalização, atividades esportivas e de lazer e ações de promoção à saúde como acesso a vacinas, exames periódicos e assistência odontológica.

Até o momento, a ICAJ tem R$ 6,7 mil em aberto, referente aos compromissos não quitados (água, luz, gás, telefone e salários dos funcionários e pessoal de apoio) do último mês de abril.
Gostaríamos de contar com a colaboração de todas as pessoas físicas ou jurídicas, pois a situação compromete o funcionamento da entidade.

As doações podem ser realizadas por repasse de órgãos governamentais, doações de empresários ou auxílios de pessoas individuais.

A instituição também precisa de doações como acesso para um dia de lazer num clube social, associação desportiva e até mesmo a possibilidade de um passeio ou final de semana para uma casa no litoral ou na fazenda.

A iniciativa é válida porque funciona como uma terapia que contribui para a formação social dos garotos.

Uma rifa de um DVD, cujo bilhete custa R$3,00 é mais uma ação da instituição que necessita de recursos para manutenção da obra.

A entidade está localizada na rua Cael, nº 29, Acupe de Brotas, em Salvador e contatos podem ser feitos com o Coordenador Azor Gomes 9195 5315 ou com a Assistente Social, Inês Rosa: 8844 7586/ 3379 1843/3356 9307.

Contamos com a colaboração de todos vocês!

CICLO DE CONFERÊNCIAS MEMÓRIA DOS MOVIMENTOS SOCIAIS

MOVIMENTOS COMUNITÁRIOS E ASSOCIAÇÕES DE BAIRROS DE SALVADOR

A atuação das Associações de Bairro de Salvador, responsáveis por unir as comunidades por melhorias e fazer a mediação entre os moradores e o poder público será o tema da próxima palestra do Ciclo de Conferências Memória dos Movimentos Sociais da Bahia.
No dia 28/08, às 17h, na Biblioteca Pública da Bahia (Barris), palestrantes debaterão a trajetória deste movimento. Participarão da mesa o presidente da Federação das Associações de Moradores do Estado da Bahia (FAMEB) e membro do Conselho Estadual das Cidades/BA, Ramiro Pedro Cora, o representante do Centro de Estudos e Ação Social (CEAS), José Maurício Daltro e o coordenador do Grupo Jovens em Ação do Calabar e da Biblioteca Comunitária do Calabar, Rodrigo Pita.

A entrada é gratuita e os participantes receberão certificado.
PARA OS AMIGOS DA ASBEB:

=======================================
Valci Barreto
editor do bikebook.blogspot.com
muraldebugarin.com

Considerando os boatos ,a que você se refere no muraldebubarin.com, foi que fiz um texto que está postado no muraldebugarin.com e no bikebook.Como ali escrito, havia o comentário de que “grupos maiores, mais fortes” iriam cobrar para outros grupos participarem de seus pedais ou eventos.

Como está claro, dei opinião contrária a esta cobrança. Para mim, não precisava você dar os esclarecimentos. Mas foi bom pois lhe permitiu muitos esclarecimentos para os ciclistas baianos.

Todos nós reconhecemos a importância desta entidade para os movimentos cicloativistas baianos, notadamente em relação às pessoas mais humildes, que são as que mais se divertem e necessitam de bicicletas.

Você testemunha todos os meus escritos, as minhas mensagens em favor da ASBEB. Todos os meus amigos que um dia montaram bicicletas por minha iniciativa, foram por mim convidados para participar de seus passeios. E assim continuarei fazendo.

Há pessoas, preconceituosas, que não vão pedalar na asbeb por “ SER MUITO MISTURADO””, afirmarções preconceituosas, elitistas, reacionárias, contraproducentes.

Há pessoas que sentem isto; no entanto, vão pedalar na ASBEB por algum tipo de benesse, proveito pessoal, nem sempre relacionado apenas ao ao pedalar. Este, obviamente, não é o caso dos milhares de bicicleteiros que se dirigem para participar dos pedais da sua querida entidade.

Estes preconceitos, quando eu era garoto, quando a idade nos faz mais fracos para a eles resistir, não me diziam respeito; hoje menor importancia ainda lhes dou.

Sou daqueles, e meus escritos estão aí, que afirmo peremptoriamente: nenhuma entidade faz mais pelo ciclismo na Bahia do que a ASBEB.

Quem lucra economicamente com o movimento cicloativista é a industria, comercio, oficina de bicicleta , comercio de roupas esportivas; não são os pequenos grupos de pedais. Muitos destes, para se formar, têm que pedir tudo emprestado; até mesmo doações de bicicletas usadas e doaçoes. Muitos dos seus membros vão para os passeios sem o dinheiro nem mesmo da água .
Pois bem, segundo os comentários, algum grupo iria cobrar valores deles para participar dos pedais.

Como interessado no movimento, pelo simples prazer de pedalar, de participar da festa, de fazer algo em favor dos pedais, manifestei-me, e continuarei me manifestando contra.
Isto por uma razão muito simples:

Para pedalar, não precisa de oficio para set , pelotão águia e muito menos para a Federação de Ciclismo. Muito menos pagar.

Pedir ou exigir pagameto para alguém ou algum grupo pedalar, será o mesmo que exigir de cada proprietário de carro ,que pagasse para a ASSOCIAÇÃO DE PROPRIETÁRIOS DE VEICULOS, para passear de carro; que cada pelada, baba, da nossa cidade , tivesse que pagar para a Federação Baiana de Futebol. Não faz qualquer sentido.

Claro que, quando se trata de um grande passeio, como o da ASBEB, ASBB, ou uma competição, há custos. E os órgãos de transito devem ser avisados para que aprovem e tomem as medidas de segurança, vez que atingem outras pessoas.

Porém, realizando a Asbeb os grandes serviços e eventos que realiza, deve buscar meios para bancar os custos.

Mas não acho que devam ser junto aos grupos , principalmente humildes, ou junto aos ciclistas, o financiamento destas despesas.

Se as oficinas, o comércio, os mercados ligados a bicicletas e peças não podem ou não querem patrocinar, pagar as despesas, é porque não há interesse no passeio, seja qual for a razão: não querem ou não podem gastar. Não é justo que apenas três ou quatro oficinas ou comerciantes banquem estas despesas. Muito menos justo, correto, no entanto, é cobrar dos pequenos e pobres grupos. Felizmente estes estão se reproduzindo. E devem ser estimulados a realizar seus proprios pedais, independentemente de participar ou não dos grandes eventos; que também devem ser estimulados.

Na minha opinião, a formação e reprodução de pequenos grupos de pedais são tão ou talvez mais importantes do que um grande passeio, com milhares de pessoas juntas em um dia só, em um só local. Melhor seria , para o cicloativismo, que este grande passeio se subdividiesse em varios e saisssem pedalando por toda a cidade, vindo e indo dos vários pontos da Capital, fazendo campanhas educativas em favor da educação para o transito e do uso das bicicletas nas ruas.

Acho ambos importantes. Mas não acho um melhor do que o outro. Se, de todos os cantos da cidade, de cada rua, cada beco, sair um grupo de cinco pessoas, organizadas, para circular pela cidade, será um movimento bem mais forte, mais movimentado, mais útil, porque exercerá uma pressão maior contra o uso exagerdo do carro . Cada um destes grupos, fazendo panfletagem sócio educativas pelas ruas, farão muito mais em favor dos movimentos cicloativistas do que um passeio ( e não estou falando da asbeb ou asbb, falo de qualquer grande passeio), com duas três, quatro mil pessoas em uma dia só.

Minha sugestão foi , e continua sendo: se é de cada grupo pagar algo para um grupo maior(qualquer um) é melhor ele amealhar seus recursos para seu próprio grupo;
A lei autoriza o uso das ruas pela bicicleta. Não há pista exclusiva para carro, salvo as exceções. Então, o que se deve buscar é que os ciclistas retomem seus espaços, busque a conscientização de que a rua não é só do carro. Usando as pistas em pequenos ou em grandes grupos,mostrando, educando, informando, que o carro tem o dever de respeitar quem está na bicicleta.

Então, se a lei assim autoriza, não há razão para pagar-se para pedalar.

Somente para citar alguns grupos: Naturabikeação, Anjos de Bike, Pedal de Ouro, Jarraw, Pedais na Estrada, Sincronia, realizam passeios , pedais fantásticos dentro e fora de Salvador . Para isto, não precisam pagar nada; nem há necessidade de pedir autorizo para SET, FEDERAÇÃO DE CICLISMO, DETRAN, POLICIA MILITAR . Muito menos para Associações ou entidades cicloativistas.

Porém, se qualquer entidade, até mesmo a ASBEB , FEDERAÇAO DE CICLISMO, quiser cobrar, e o pessoal achar que deve pagar, é uma atitude até louvável, pois revela a solidariedade entre os grupos.

Mas acho que, se começar a cobrar, muitos, mesmo querendo, não vão poder.

A ASBEB é forte. Se depender de mim, será mais ainda.

Mas deve buscar, na minha opinião, meios mais criativos para arrecadar os fundos necessários para manter o seu belo passeio, no qual sempre faço questão de estar.

Sou favorável a isto, como sou favorável a inserção dos políticos no movimento.
Há pessoas bobas, pensando muito miúdo também, quando comentam: “os políticos não deviam participar dos nossos pedais. Não deviam usar o microfone para falar . Estão se aproveitando dos nossos pedais para suas campanhas.”

Pense na burrice, não há outro termo para estas pessoas, que seria você pegar o microfone e dizer:

Convido todos para participar dos nossos pedais: “médicos, advogados, juizes, artistas, jogadores de futebol, MENOS OS POLITICOS!!!
Ou ir mais longe: para os políticos usar o microfone tem que pagar. Mas os outros não precisam! Como dizia um personagem de programa antiga de tv Oh CABEÇA!...

Meu caro Maurício, liberte-se, se é o caso, destas cabeças bobas, para não dizer burras. Faça o contrário: Convide todos os politicos, todas as pessoas, filhos, maridos, amantes, namorados, politicos, empresários, para pedalar. E deixe-os usar o microfone à vontade. Ninguem vai para o pedal da ASBEB para fazer discusrso político/partidário. E até que façam, qual o problema? Importante é que digam a todos: 09 horas o pedal sai, pedimos para não falar muito cada pessoa que usar o microfone, óbvio. E todos vão entender.

Aos nossos amigos politicos, alguns convidados por nós para conhecer e participar dos pedais, sempre aconselhamos, o que eles já sabem: muita gente quer falar. Não dá tempo para todo mundo dizer tudo. E não vi, até hoje, nenhum dele exagerar no uso do microfone. E quando o ocupou, o fez convidado por nós. Do mesmo jeito que eu e outros pedalantes usam o microfone da ASBEB estão fazendo os políticos : dando recado ciclisticos.

Os vereadores Everaldo Augusto e Reginaldo Oliviera, fizeram e farão passeios . eM NENHUM MOMENTO OS VI PROIBINDO ALGUM CICLISTA DE USAR SEUS MICROFONES. Eu, guerreiro e qualquer ciclistas ou politico que ali estiver a eles são sempre franqueados o microfone. Vamos ter que pagar a eles também pelo uso do microfone? Lamentável pensamento tão pequeno. Como é taão pequeno, vai logo sumir .

Ora meu caro Mauricio, há pessoas no pedal da ASBEB falando bobagens. Isto deve-se ao seu sucesso. E não creio que você seja bobo de atender a estas fofocas e aos "conselhos", que lhe dão para cobrar , dos políticos, ou dos pobres grupos de pedais.Ou apenas, que é coisa de sábio. Sugiro, no entanto, nem pensar no caso.

Se alguem estiver dando este conselho, deve começar a dar o exemplo: desenbolsar algo para ajudar no pagamento da divida da asbeb. Ou ir às oficinas e lojas de bicicleta pedir a cada um uma contribuiçao para manter a bela festa da ASBEB.Duvido que, quem esteja dando este tipo de mal conselho , esteja desembolsando algo em favor desta entidade.

Caro Maurício, se for o caso, não ligue para nenhuma deles. Você é forte e querido. Seu passeio também. Faça dele a festa que tem sido, com grupos como AmigosdeTony, Subai, Pedais na Estrada, Naturabikeação, Itapagipe é do Pedal, PEDAIS DE OURO, ACVADEIMA STULLUS, ANJOS DE BIKE, os PIRATAS DE BIKE, Narandiba, grupos que, sem qualquer dúvida, é quem mais precisa da ASBEB. E tenho certeza, é de quem mais as oficinas e o comercio de bicicleta precisam. Se eu estiver errado, corrija-me, por favor.Pois bem ,se tiver que escolher, saiba escolher os que realmente queiram e possam pagar.

Tenho certeza de que você irá encontrar meios de cobrir seus custos, sem precisar pensar ou permitir e atitudes bobas, se é que elas existem, como os mal conselhos acima referidos.

E conte com seu amigo; com certeza.

E queremos contar com o apoio e presença do amigo no PEDAL DAS FRALDAS.

valcibarretoadv@yahoo.com.br

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

copiado do muraldebugarin.com, parceiro do bikeboook.

Passarela da Desenbahia
Na próxima sexta-feira, dia 29, a Prefeitura Municipal, por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal), entrega mais uma passarela à população. Os técnicos do órgão estão realizando os ajustes finais no equipamento que faz a ligação entre a Desenbahia e a Copyart (saída da Rua Marcos Freire para a Avenida Tancredo Neves). Com 242 metros de extensão, o equipamento público está distribuído em quatro pilares, dois intermediários, três treliças e duas rampas. A passarela foi construída no padrão da Desal, já consolidado na cidade. A obra faz parte de uma estratégia da Prefeitura de retirada de semáforos da Avenida Tancredo Neves para melhorar a fluidez do tráfego na região, onde se concentra o maior fluxo de veículos da cidade.

Salário dos Servidores
A Prefeitura do Salvador, através da Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz), anunciou para quarta-feira, dia 27, o pagamento da folha de agosto dos servidores. Todos os 32 mil funcionários, ativos e inativos, receberão os salários, aposentadorias e pensões em lote único. O depósito será efetuado diretamente nas contas correntes dos servidores no Bradesco. Os cronogramas de pagamento da folha de pessoal podem ser consultados no site http://www.sefaz.salvador.ba.gov.br/.

Fundação Cidade Mãe
Na próxima quinta-feira, dia 28, Salvador vai celebrar o aniversário de uma das mais importantes instituições municipais: a Fundação Cidade Mãe (FCM), mantida pela Prefeitura Municipal, que completou 14 anos, no último dia, 16. A festa vai ocorrer na Praça Dois de Julho, no Campo Grande, a partir das 10 horas. Na programação estão inclusas apresentações de orquestra de berimbaus, roda de capoeira, maculelê, teatro e teatro de bonecos com personagens de Monteiro Lobato. Também haverá shows musicais, desfile de penteados, exposições de artes plásticas, mostra de muda e recital de poesias.

Grafita Salvador
A proposta da Prefeitura de Salvador de incentivar a grafitagem, através do Projeto Grafita Salvador, rendeu o catálogo Arte na Rua, produzido pelo fotógrafo e pesquisador José Paranaguá. Fotografias coloridas e em preto e branco das produções estampadas nos muros da cidade, além de textos e depoimentos dos artistas, preenchem o catálogo, que tem o objetivo de valorizar a produção dos artistas e registrar a mudança no conceito da população sobre esta arte. O catálogo produzido por Paranaguá foi o ponto de partida para que os grafiteiros soteropolitanos expusessem em cidades como Paris e Marseille, na França, Hamburgo, na Alemanha; e em Barcelona, na Espanha. As exposições foram realizadas em ruas, escolas e instituições artísticas, através de workshops, fotos das atividades realizadas em Salvador e documentos.

Obras sociais da irmã Dulce
Por uma audiência viabilizada pela Prefeitura Municipal, o Ministério da Integração Nacional e por representantes da bancada baiana no Congresso Nacional, a Osid - Obras Sociais Irmã Dulce - recebeu no último dia 21, do Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, a garantia de que até o fim de agosto o Ministério da Saúde divulgará os percentuais de reajuste do Contrato de Metas com o SUS. O contrato é a principal fonte de recursos da instituição. A garantia foi dada à superintendente da Osid, Maria Rita Pontes, em audiência que teve a presença do secretário municipal da Saúde, José Carlos Brito, do senador João Durval Carneiro, do gestor operacional da Osid, Paulo Bittencourt, e do representante da área médica da entidade, Eduardo Barbosa.

Vagas do Simm para segunda-feira
O Serviço Municipal de Intermediação de Mão-de-Obra (Simm) oferece para esta segunda-feira, dia 25, em Salvador, vagas para técnico em eletrônica, Supervisor de manutenção, engenheiro civil. Além de 80 vagas na área de telecomunicações, sendo que, 40 delas são para técnico em eletrônica, cuja função será realizar manutenção preventiva e corretiva na transmissão de internet banda larga e para a qual é imprescindível possuir CREA e curso técnico em eletrônica, eletrotécnica ou telecomunicações. Os interessados devem à seleção de uma das vagas disponíveis devem comparecer à sede do Simm, na Rua Miguel Calmon, 382, Comércio, das 8 às 17 horas. Levar Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovantes de residência e de escolaridade. Mais informações: www.simm.salvador.ba.gov.br
recortado do correio da bahia de hoje:

Da Redação
redacao@portalibahia.com.br

O Shopping Center Lapa recebe nesta segunda-feira (25), a exposição fotográfica A Arte na Rua, do fotógrafo e relações públicas, José Francisco Paranaguá Guimarães.

A mostra, que está na sua 4ª edição, fica aberta ao público até o dia 30, das 9h às 21h, na Praça de Eventos, que fica no piso L1 do shopping.

Trata-se de um projeto de resgate de inscrições visuais urbanas, com registros de pichações feitas em Salvador desde 1983, em muros, paredes, encostas, viadutos, dentre outros.

Textos e um acervo de 120 imagens, divididas em três etapas, contam a história da arte nas ruas, mostrando as variadas intervenções visuais em Salvador.


Não saia de casa sem abrir o muraldebugarin.com e ver galeria de fotos.


PARABENS A KARLA MENEZES PELO SEU ANIVERSÁRIO
========================
MATANDO SAUDADES:

ESTE PEDAL ACONTECEU EM 2007. PREPAREM-SE OS NOVOS JABUTIS PARA MAIS UM , QUE ACONTECERÁ EM BREVE, JÁ EM SETEMBRO.

ELENA, ROSI, QUE AINDA NÃO VIVERAM ESTA LINDA EXPERIENCIA, FIQUEM CERTAS: ESTAREMOS DE NOVO NA ILHA EM SETEMBRO , JANEIRO E FEVEREIRO.

PELO MENOS!


O TEXTO É REPRODUÇAO DE PUBLICAÇOES ANTIGAS DE NOSSOS PASSEIOS. SO PARA REFRECAR A MEMORIA, MATAR A SAUDADE E ESTIMULAR PARA OS PROXIMOS!

RAILEIDE,VOCE NÃO VAI FICAR DE FORA.

PEDAL DAS FRALDAS: NINGUEM PODE FICAR DE FORA!

"
27/01/2007
Jabutis Vagarosos na Ilha

Neste Sábado – 27 de Janeiro – Os Jabutis Vagarosos se reuniram às 6 horas para mais um pedal - Diógenes, Ernesto, Valci, Edvaldo, Mariana, Victor e Itana. A Apipão é um bom ponto de encontro e mesmo cedo encontram-se amigos como Seu Edu (escribiker). Foi o local escolhido para a partida. Saimos em direção ao terminal marítimo. Lá, juntaram-se mais Jabutis: Luzia, Roseli e seu esposo Magnus e seguiram de lancha para a Ilha de Itaparica.

O dia estava perfeito e a travessia foi tranqüila. Sol inclemente, mas abrandado pelo frescor do vento e pela vontade de pedalar. No desembarque pararam para o mingau de tapioca, ajustaram a bike de Rose e seguiram para Itaparica que os surpreendeu com a revitalização, limpeza e organização. Logo ao chegarem, tomando informações, deram a sorte de parar para falar exatamente com o assessor de esportes que falou sobre o projeto Esporte Verão na Ilha. E melhor não poderia acontecer: foram convidados a participar do evento e já deram a palavra de confirmação e participação. Haverá uma caminhada e passeio ciclístico que acontecerá dia 11/Fev as 10 hs, em comemoração ao encerramento da programação esportiva da Ilha neste verão.
A utilização da bicicleta na Ilha é muito comum e em Itaparica há pontos para aluguel de bikes.

Após um pequeno bike-citytur-itaparicano, avistaram, mais de uma vez, pedalando, uma senhora, que os deixaram certos: esta senhora ama um pedal. Era também o dia da Lavagem do Beco e a Ilha estava repleta de turistas, veranistas e visitantes para a festa. Tiveram a oportunidade de curtir a alegria do evento com suas tradições, blocos e bandinhas. Conheceram a nova Marina da Ilha, visitaram a Fonte da Bica, pedalaram pelo Centro, admiraram os casarões coloniais restaurados e relaxaram num banho de mar de água quente e transparente. Sentaram em frente a um restaurante e sorveteria para um pequeno descanso, quando, novamente, passa à frente aquela mesma senhora. Como os Jabutis não podem ver ninguém, nem mesmo próximo a uma bicicleta, sem que se manifeste o desejo de pregar o “evangelho ciclístico”, acenaram para que ela recebesse os mosquitinhos e para ouvir a “missão na terra” dos Jabutis, ou seja, converter todo o mundo em “pedalante”. Por demais simpática e elegante, ouviu-os e garantiu fazer uma visita ao site, afirmando que amava pedalar. A ciclista era exatamente a senhora Tércia Borges, esposa do senador César Borges. O Jabuti Valci sentiu, de imediato, nela uma autêntica “Jabuti”: forma elegante de pedalar, demonstração de carinho com a magrela, desestressada, sem correria, humor lá em cima, bicicleta simples e aquele utilitário e inconfundível adereço: a cestinha.Só em saber que aquela senhora anda de bike, os Jabutis sentiram-se com o currículo enriquecido e munidos de mais entusiasmo para lutar por bikes nas ruas, educação no trânsito e ter a bicicleta como item permanente de suas alegrias.Em seguida, pedalaram até Ponta de Areia para almoçar e, na barraca Viva Verão, saborearam uma Mariscada deliciosa e de sobremesa ninguém resistiu ao doce Ambrósia.

Depois de vento, céu, mar, boa comida, lavagem do Beco, charangas, encontros, casarões limpos e coloridos, paz por toda a cidade de Itaparica e ainda a certeza de retorno no dia 11/Fev, não tiveram dúvida: foi um dia de felicidade, graças ao pedal e aos amigos que compuseram os Jabutis Vagarosos neste sábado. O retorno, pela lancha, foi sossegado e, juntos, subiram a Ladeira da Preguiça para acompanhar Luzia até próxima de sua casa. Seguiram pela R.Carlos Gomes, Vitória, R.Manoel Barreto, Barra e finalizaram na Apipão.

Agradecimento especial à Diógenes, Valci e Ernesto que escolheram e coordenaram o agradável roteiro deste pedal. Dia 11 de Fevereiro é o próximo !

(Texto: Itana e Valci)

Dados do Computador""===

PUBLICADO NO www.bikebook.com.br

PENHORA DETRAN

Em um mês Detran recebe 11 mil pedidos de penhora da Justiça

Por Livia Veiga


O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lançou na tarde de ontem, o Sistema On-line de Restrição Judicial de Veículos (Renajud), que permite aos juí-zes consultar a base de dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) em tempo real, inserindo restrições judiciais de transferência, licenciamento e circulação, além de registrar penhora dos veículos. A previsão é que aproximadamente 50 mil usuários serão cadastrados na base de dados do novo sistema.
Embora a ferramenta ainda não esteja em operação na Bahia, registros do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/BA) revelam a magnitude da demanda judicial. Apenas no mês de julho desse ano, o Detran/Ba, recebeu 11 mil ofícios emitidos pela Justiça, sendo esses, pedidos de penhora de veículos ou restrições administrativas de Renavam. Segundo Carlos Roberto Brandão, os pedidos do judiciário lhe renderam três representações da Justiça do Trabalho por crime de desobediência, pelo fato do órgão não possuir condição técnica de atender às exigências judiciais. “Não tínhamos condição de responder 11 mil ofícios em um mês. Os juízes estipulavam prazo médio de cinco dias para as respostas. O Detran teve, então, que desviar a força de trabalho das funções de licenciamento de veículos e habilitação de condutores, para prestar informação à Justiça. Às vezes, frotas inteiras de empresas sofrem restrições, o que gera acúmulo de serviço”, afirmou.
O Renajud, com funcionamento desde maio em projeto piloto no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) 10ª Região, que abrange o Distrito Federal e Tocantins, gerou polêmica e foi considerado pelo presidente da Seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Saul Quadros, como “um instrumento perigosíssimo”.
Segundo ele, o acesso aos dados do Renavam pode ser configurado como uma invasão à privacidade do cidadão e à propriedade. “Este é um absurdo na legislação para conceder ainda mais poderes aos juízes que conduzem os processos, para realizarem atos até exorbitantes”, afirmou por telefone, após cerimônia em Brasília.
Saul Quadros explica as conseqüências da medida judicial através de um exemplo. “O juiz poderá determinar a penhora on-line de um veículo e bloqueá-lo para venda e circulação. O processo pode durar até cinco anos e ao ser concluído, pode ser julgado improcedente. Porém, quando o veículo for liberado, perderá seu valor de mercado”, alerta. Quando questionado sobre a segurança do sistema e a legitimidade das restrições, o diretor geral do Detran/BA, Carlos Roberto Brandão, afirmou que com o Renajud a senha individual do magistrado consta nos registros de procedimentos e alterações no sistema, o que garante a constatação da autoria.
A reportagem da Tribuna da Bahia entrou em contato com o Tribunal Regional do Trabalho na Bahia (TRT 5ª Região), que afirma não possuir informações sobre quando o sistema será operacionalizado no Estado. Agora, com o sistema on-line, em segundos o juiz identifica a propriedade do veículo, sabe a existência de outras restrições e efetiva, pela Internet, ordens judiciais necessárias à execução do processo. O Renajud é fruto de um acordo de cooperação técnica firmado entre o CNJ e os Ministérios das Cidades e da Justiça, órgãos responsáveis pelo desenvolvimento da ferramenta, juntamente com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).


Governo Federal ratifica a ferramenta
O Sistema on-line de Restrição Judicial de Veículos (Renajud) foi lançado ontem pelo presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Gilmar Mendes, ao lado dos ministros da Justiça, Tarso Genro, e das Cidades, Marcio Fortes. Após a cerimônia, 38 tribunais de todo o país aderiram imediatamente ao acordo de cooperação técnica que implantará o sistema de restrição judicial.
Para acessar o Renajud, o juiz precisa ter uma senha. Ao digitar o CPF do sócio ou o número de registro da empresa, o magistrado pode mandar uma ordem para o Detran apreender os carros para pagar uma dívida trabalhista, por exemplo. Durante a cerimônia, o ministro da Justiça, Tarso Genro, informou que entregará, em breve, ao presidente do CNJ e do Supremo Tribunal de Justiça, ministro Gilmar Mendes, uma “segunda rodada” de reformas legais que dizem respeito ao Judiciário, e enfatizou o caráter prático do sistema. ”São medidas como essa que dão sustentação às macro reformas”, disse Tarso Genro.
Para o juiz auxiliar da presidência do CNJ, Rubens Curado - que acompanhou o trabalho desenvolvido por todos os órgãos na concretização do sistema - o novo instrumento será importante principalmente para processos das varas de família e dos juizados de pequenas causas. “Acredito que finalmente o Poder Judiciário está utilizando as ferramentas tecnológicas a seu favor e buscando, sobretudo, fechar o cerco contra os maus pagadores no Brasil” pontuou o juiz.
ResponderResponder a todos Mover...Arygil CerqueiraFernando Brito
Irmãos Motociclistas, segue anexo relação de hoteis da cidade de Entre Rios sem mais Adriano Amaral

Em 25/08/08, pimentadaestrada escreveu:
Amigos, estamos há poucos dias da realização do 2º Entre Rios Moto
Fest. Tendo em vista o bom conceito do evento, acredita-se que uma
parcela considerável de motociclístas deseja participar, porém, está
existindo contratempo no conceito "hospedagem", principalmente para
casais. Enviei mensagem eletrônica para endereço fornecido pela
organização pedindo relação de pousadas e cartaz, até o momento não
obtive resposta. Um irmão nosso dirigiu pedido com o mesmo conteúdo
através telefone e obteve como resposta o envio destes documentos por
fax, diga-se de passagem, com péssima qualidade, que é inerente deste
sistema.
Com a palavra os organizadores do tão conceituado evemto, que, por
sinal, concorreu ao Bye Bye. Aguardamos resposta com ansiedade, pois,
sabemos da pontencialidade dos organizadores.
Pimentadaestrada.

www.bikebook.com.br

domingo, 24 de agosto de 2008

JABUTIS VAGAROSOS, 24.08.

Hoje estava apenas mais ou menos combinado.
Seria para a hora que pudéssemos. Ou até não acontecer. Para não fazer igual aos outros descompromissados com horários, nada marcamos. Porém, a nova "fominha de pedal", no horário mais ou menos conversado, apareceu aqui em casa já prontinha para sair por Aí. Não precisa dizer que me refiro a Rose. Deraldo ligou algumas vezes. Tendo ligado pela manhã, com Rose já aqui, confirmei: vou ainda tomar um banho, comer algo e, com certeza, vou pedalar. Rose está aqui e vamos juntos. Marcamos e nos encontramos no Farol da Barra, Rua de Lazer. Dali seguimos em direção ao Barroco da Bahia. Como ninguém atendeu à campanhia, seguimos para a Praça de Nazaré para ver e ouvir o CANTO DA PRAÇA. Surpreendentemente, estavam ali amigos de infância, da minha querida Jaguaquara, que há mais de 30 anos não via: todas as irmãs e um irmão, da familia de SEU JONAS VAL! Que coisa boa! Há muito que esparava um encontro deste com pessoas tão proximas e querias da da minha infancia. Porém, jamais imaginava pudesse ser ali e ainda todas elas juntas.

Nos Jabutis, há sempre destas surpresas, graças às nossas paradas. Muitas conversas, saudades, dicas de como rever os Amigos da Toca, o que fazemos e o que pretendemos fazer. Quase todas pedalavam em nossa infância em Jaguaquara. Iracema, médica especializada em oftalmolgia, até hoje tem, um das suas pernas, as marcas de uma quedinha que, só não doeu mais porque foi próximo ao casqueiro, onde na adolescência fazíamos serentas. Oh tempo bom!

Não precisa dizer que afirmaram que vão entrar nos nossos movimentos ciclisticos. Todos eles têm muito o que oferecer para o crescimento das nossas ações cicloativistas.
Pelo menos tres virão. Uma outra irmã, Iracema, que foi minha professora de primario, informaram-me, mora em Monte Gordo; Vai ver que já passei de bicicleta em frente da sua casa. Vou conferir. Irei visitá-la neste verão, minha pró!

Trocados e-mails, fones, agora é so esperar o melhor acontecer.

Deixamos a turma e o CANTO DA PRAÇA e seguimos pelo Barbalho, Santo Antônio. Um dia lindo, sol brilhando, o azul do mar lá embaixo. Um rapaz com um churrasquinho esperto, em frente ao Forte de Santo Antônio e um pedaço da Bahia, de muita beleza e paz. Pelo menos naquele momento assim estava. Deixamos para degusar o churrasquinho em uma próxima parada. Ultrapassamos todo o Alto de Santo Antonio com seus bares expondo cadeiras cadeiras nas ruas aguardando os fregueses e alcançamos o Restaurante RAMA, onde pretendíamos e terminamos almoçando.

Trata-se de uma restaurante, do tipo que denominam natural. Mas para afastar os preconceituosos contra os "natureba", quem for vai se surpreender: muita variedade de comida. Mesmo os mais radicais contrários ao cardapio de comida natural, com certeza vão ficar apaixonado com tantos sabores e deliciosas opções.

Vençam os preconceitos, os receios e vão um dia ali almoçar. Além de uma decoração muito bonita, salão amplo, a comida é, realmente, deliciosa. Fica no Terreiro de Jesus, bem em frente à Loja da Central do Carnaval.

Após o almoço, seguimos para nossas casas, com um vento gostoso batendo em nossos rostos, apesar do sol, principalmente no sempre refrescante Corredor da Vitória.

De ruim foi não ter sabido ajustar um anova maquina fotográfica que comprei. Não sabendo ajustá-la, terminei errando em muitas fotos e perdendo muitas outras. Peço desculpas a quem não aparecer nas fotos, especialmente ao nosso amigo do churrasquinho do Alto de Santo Antônio. Mas lá retornaremos para uma nova sessão fotográfica.

Dizem os fotógrafos: a pior foto é melhor do que nenhuma; A pior foto é a que não é feita. Por isto, postamos as que ai estão, uma delas com a familia Val, que virá pedalar conosco.

Mais um dia feliz de Jabutis, apesar de não termos mais companhias. Não escondemos pedal embaixo do tapete, com diz nosso amigo George Argolo. Não convidamos ninguém. O de hoje, simplesmente aconteceu. Seria mais um ótimo para Elena. Nem para ela avisamos. Terminou sendo melhor:

Hoje aconteceu o seu primeiro PEDAL SOLO!!! PEDALOU DE CASA ATÉ O FAROL DA BARRA!

Parabéns Elena!

====

AGUARDAMOS TODOS NO PEDAL DAS FRALDAS!!

Lazáro Merece.

MAIS FOTOS DE EVENTOS CICLISTICOS E CULTURAIS, NO MURALDEBUGARIN.COM, EM GALERIA DE FOTOS.

====================================================