domingo, 29 de março de 2009

FÁBULA INFANTIL: O JABUTI E A FRUTA

A seguir, um miniconto infantil em homenagem aos Jabutis Vagarosos de carteirinha e aos meus amados Valci e Bugarin que não dispensam um passeio/pedalada cultural e uma barraquinha de frutas.

O Jabuti e a Fruta

Origem: do livro “Histórias à Brasileira” recontadas por Ana Maria Machado


Uma vez apareceu na floresta uma árvore nova que dava uma fruta que todos os bichos ficaram com vontade de comer, mas só podia comer quem primeiro soubesse o nome da fruta. E, para ficar sabendo, era preciso perguntar a uma mulher que tomava conta da árvore e morava meio longe. Depois, embaixo da árvore, tinha que dizer o nome da fruta bem certinho. Então a fruta amadurecia e caía.

Um por um, cada bicho ia lá na casa da mulher e perguntava. Ela respondia. Ela não podia enganar ninguém. Tinha que responder direito, o nome certo, como o deus da mata havia mandado.

Mas era um nome enorme e complicadíssimo. Quando chegava na metade do caminho, o bicho já havia esquecido e não podia voltar lá pra perguntar de novo. Precisava guardar bem direitinho na cabeça para não esquecer.

Para complicar ainda mais, a mulher fazia uma coisa ruim, só para atrapalhar. Misturava as idéias na cabeça do bicho que perguntava. Quer dizer, depois de falar bem certinho o nome da fruta, quando o bicho já estava indo embora, tentando guardar o nome da fruta, ela chamava:

- Ei, espera um pouquinho, compadre, que eu acho que me enganei ! E então começava a dizer várias outras palavras para confundir.

.... Até que chegou a vez do Jabuti.

Sabendo do que tinha acontecido com os outros, ele teve uma idéia. Levou sua violinha quando foi se apresentar à mulher:

- Por favor, a senhora pode me dizer qual é o nome da fruta ?

Ela respondeu:

- Mussá, Mussá, Mussagambira, Mussauê.

Rapidamente ele inventou uma musiquinha e começou a dedilhar as cordas da viola enquanto cantava:

- Mussá, Mussá, Mussagambira, Mussauê.

E num instantinho a mulher chamou:

- Ei, seu Jabuti, não é que eu lhe dei uma informação errada ? O nome da fruta não é esse não. É Puçá, Puçá, Puçacambira, Puçuarinha.

E o Jabuti não parou de cantar.

- Mussá, Mussá, Mussagambira, Mussauê.

E a mulher vinha atrás dele, falando sem parar.

- Ou será que eu me enganei ? Acho que é Içá, Içá, pega na imbira, solta a farinha ....

E o Jabuti firme, dedilhando sua viola:

- Mussá, Mussá, Mussagambira, Mussauê.

A mulher não desistia:

- Ou será que é Assá, Assá, viu curupira, viu você ?

E o Jabuti não parava um segundo:

- Mussá, Mussá, Mussagambira, Mussauê.

A mulher ficou furiosa, passou a mão num pedaço de pau e deu uma pancada no Jabuti que rachou seu casco todinho, mas o teimoso não parou:

- Mussá, Mussá, Mussagambira, Mussauê.

Continuou até que chegou perto da árvore e a mulher teve que voltar para casa. O Jabuti cantou:

- Mussá, Mussá, Mussagambira, Mussauê.

Era o nome certo. A fruta caiu. Ele continuou cantando e foi uma chuva de frutas amadurecendo e caindo. Dava para todos os bichos provarem.

E, como as frutas tinham um visgo grudento que nem jaca, os outros bichos aproveitaram e usaram o visgo para colar os cacos do casco rachado do Jabuti.

E ele ficou assim, remendadinho, até hoje !!!

Um comentário:

Anônimo disse...

Mas que karaio de estoria é essa, gente que bate em bicho.