sábado, 9 de agosto de 2008

OPERAÇÃO JANUS DESARTICULA SUPOSTA QUADRILHA QUE ATUAVA NO JUDICIÁRIO BAIANO

09/08/2008 00:00:12

Segundo informações oficiais, a “Operação Janus” foi montada pelo Ministério Público Estadual (MPE) em conjunto com a Polícia Civil com o objetivo de desarticular uma suposta quadrilha que atuava no Judiciário do Estado em ações de tráfico de influência, corrupção e lavagem de dinheiro. Ao todo, foram expedidos oito mandados de prisão contra cinco servidores públicos e quatro advogados. Ontem, foram presos os advogados Antônio Raimundo Magalhães de Oliveira e Kátia Pinto Melo, ex-assessora de um desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia, o estagiário de direito Olegário Sena Miranda e Glória Maria Moreira dos Santos, que foi secretária do desembargador Benito Figueiredo, ex-presidente do TJ-BA. Os supostos líderes da organização criminosa, conforme fontes envolvidas no caso, são o advogado Abdon Antonio Abade dos Reis, seu sócio Cláudio Braga Mota e a funcionária pública Eliane Ferreira Luna, que estão foragidos. As mesmas fontes garantem que a quadrilha era bem articulada e atuava no favorecimento de veredictos. Também estão sendo procurados Gevaldo Sá Silva Pinho Júnior, filho da juíza Maria de Fátima Carvalho, e Alexandre José Cruz Neto. Todos têm prisão preventiva decretada.

(fonte: site Bahia Notícias)

ESCÂNDALO DA OPERAÇÃO JANUS É MAIOR DO QUE SE IMAGINA
09/08/2008 00:00:11

A Corregedoria Geral da Justiça baiana, desde o início, vem acompanhando e colaborando com as investigações policiais. As ordens de prisão foram dadas por magistrado do Tribunal de Justiça da Bahia, com quem está o processo e ao qual a Corregedoria vem dando todo apoio. A Corregedoria informa ainda que o relatório das investigações foi encaminhado pelo Ministério Público Estadual para análise da Procuradoria Geral da República e retornou com o despacho do procurador-geral, Antonio Fernando de Souza, declarando que, após minuciosa análise das provas, concluiu que as referências feita a desembargadores, em atividade, não são suficientes para que eles sejam investigados. Há, segundo se informa, um desembargador muito envolvido, mas se aposentou não faz muito. Dá-se conta, ainda, de que informações valiosas surgirão no decorrer das investigações. O advogado Abdon Abade e outros fugitivos teriam recebido informações privilegiadas de policiais sobre a iminente prisão. Enfim, trata-se apenas da ponta de um escândalo, cujo tamanho é ainda difícil de mensurar.
(Samuel Celestino)

5 comentários:

Anônimo disse...

Está mudando, é a ponta do fio do tiar que foi puxado, se as investigações não para por aí será presa mais pessoas, pois o tribunal de justiça baiano tem sido um sinonimo de imoralidade. Quando se busca um tribunal o desejo de ter ações julgadas por pessoas experientes "desembargadores" é nutrido por todos, mas não, estagiarios e acessores são quem redigem e dão sentenças piorando o julgamento do juiz de primeiro grau. A maioria deles são corruptos, se vendem a advogados como os tais. No Estado da Bahia é sabido por todos, que que ganha ações é ABIDO ABADE, os demais advogados são de pequena importancia,procura-se ABIDO pois a certeza da vitoria era existente. Propinas nos cartorios enfesta as varas da capital, seus processos andam, os dos demais ficam parados ou seja,"esta concluso", e nunca são julgados. Parabens, tem que moralisar o judiciario.

Sérgio Bezerra disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
VALCI disse...

Pois é, amigo.
Vamos ACREDITAR que a Justiça desse nosso País um dia desamarre as mãos e segure os canalhas de todas as estirpes e os "pombos-sujos", de preferência, ATRÁS das grades!!

O fato de um parecer ser dado por um estagiário ou assessor não quer dizer que o mesmo seja inválido. Assim, estamos discriminando o pessoal 'novo no ramo' e jogando os processos num gargalo... Claro que há aqueles que realmente precisam passar muitos anos 'treinando' até fazerem um serviço decente. Afinal há todo tipo de competência no mercado e cabe aos Profissionais responsáveis, orientá-los para serem COMPETENTES!!
Vamos torcer por isto, para que torne-se REALIDADE!

Anônimo disse...

a operação janus foi um fiasco. Está evidente que os promotores armaram um estrategema, com montagens de interceptações. Tanto que o processo já se encontra praticamente anulado.

Anônimo disse...

Nesta sexta-feira última a Juíza que preside o processo desencadeado pela operação janus deixou claro em decisão que a operação fora total e irrestritamente ilegal, com escutas ilícitas e montagens das gravações. Que vergonha a atuação dos promotores do caso. E agora??????????????????